Marcio Dupont

O Design: pensamento estratégico para a inovação

O design aplicado como pensamento estratégico na empresa gerando vantagens competitivas na forma de novos modelos de negócios, serviços e experiências.

Como designer e analista de sustentabilidade sempre sou questionado por empresários de diferentes setores: «Para quê eu quero um designer, se a minha empresa não projeta, nem desenvolve um produto físico? Eu trabalho com serviços, com o intangível!»

Caro empresário brasileiro, perceba que o design acima de tudo aporta para a sua empresa um «pensamento» estratégico-criativo-inovador, independente se a sua empresa desenvolve produtos físicos ou não. Esse pensamento estratégico gera novas e aperfeiçoa as já existentes vantagens competitivas da empresa no mercado e frente a seus concorrentes, com novos modelos de negócios, novos serviços, experiências, percepções de sua empresa para o consumidor e para os concorrentes.

Um exemplo conhecido é a Apple. Steve Jobs era um design thinker de primeira classe, ele entendeu perfeitamente o «valor e a aplicação do design» como um pensamento estratégico para gerar inovação à todos os níveis possíveis, desde processos de engenharia (tangível) até criação de novos estilos de vida globais (intangível).

Sem o design dessa perspectiva não-material unicamente, dificilmente produtos com iPad, iPhone, e serviços derivados deles (iTunes) teriam surgido no mercado, criando novos mercados e consolidando mercados já existentes. Esta qualidade criativa e inovadora é algo natural, inerente ao designer pela sua mesma formação profissional, e leva-o a ter sempre uma visão e abordagem sistêmica sustentável e a capacidade de entender e integrar as diferentes disciplinas/dinâmicas da empresa.

É um fato que o design é sempre um catalisador de inovações, a qualquer nível que seja aplicado! Isto não deve ser subestimado e muito menos desperdiçado.

O design e a sua empresa

O design é vital para que a empresa seja sustentável e inovadora em todas as suas dimensões e divisões (ambiental, social e econômica) funcionando o design também como um elemento unificador, criador e consolidador da cultura sustentável da empresa.

Mais frustrante ainda é verificar que comitês de sustentabilidade, prêmios às melhores empresas sustentáveis, e até empresas certificadoras, não tem nenhum designer (afinal, elas não produzem nenhum produto físico!). Mesmo assim, devem decidir o que é estratégico, sustentável e inovador, sem um designer.

Isso acontece porque não entendem ou não conhecem o beneficio estratégico do design em um «contexto global- não produtivo», e ainda acreditam muito erroneamente que um engenheiro especializado em gestão ambiental e processos, junto com administradores e financeiros «verdes» será mais do que suficiente para gerar ou julgar «inovadoras» dinâmicas sustentáveis. Sem o designer e a sua visão, as dinâmicas sustentáveis da empresa serão limitadas, conservadoras e de curto prazo. A empresa será sustentável sem o designer (importante dizer), mas não terá todo o seu potencial mapeado, conhecido e explorado como deve ser.

É hora do empresário brasileiro deixar para atrás essa visão obsoleta de que o design somente é necessário caso a empresa desenvolva produtos físicos no chão da fabrica.

O design no século XXI

No século XXI o design não existe mais apenas como um elemento físico-industrial para manufatura. Deve ser percebido como um pensamento estratégico-criativo-inovador vital para a empresa, em todos os sentidos. Caso o empresário queira realmente ser sustentável e inovador, precisará sempre do design como pilar central para a inovação e sustentabilidade. O Design deve ter o seu respectivo lugar de destaque na busca da «sustentabilidade empresarial brasileira» neste século XXI (É muito pedir, caro empresario?).

Afinal, visões conservadoras e quadradas, em qualquer âmbito da ação humana, não podem gerar sustentabilidade e muito menos inovação.

Author
Marcio Dupont São Paulo

Artigo publicado originalmente no Design Simples

Published on 27/09/2012

IMPORTANT: This article does not express the opinion of the editors and managers of FOROALFA, who assume no responsibility for its authorship and nature. To republish, except as specifically indicated, please request permission to author. Given the gratuity of this site and the hyper textual condition of the Web, we will be grateful if you avoid reproducing this article on other websites. Instead, we suggest and value a partial reproduction, also including the name of the author, the title and the source (FOROALFA), a link to this page (https://foroalfa.org/articulos/o-design-pensamento-estrategico-para-a-inovacao) in a clear and visible place, inviting to complete the reading.

Autor:
Marcio Dupont

More articles byMarcio Dupont

Article:

Clara Porset, a cubana que reinventou o design no México

Article:

Design para o homem espiritual

Article:

Design Thinking não é Design

Followers:
50

Related

Illustration:
Roberto Martínez Garza
Author:

Roberto Martínez Garza

Title:

Tendencias futuras de las artes visuales

Synopsis:

Para poder hacer un pronóstico creíble acerca de nuestro futuro, debemos también mirar hacia atrás, hacia un pasado no tan remoto.

Votes:
12
Followers:
8
Idioma:
ES
Illustration:
André Ricard
Author:

André Ricard

Title:

Fewer Products vs. More Services

Synopsis:

A possible new horizon for the world and for the Design.

Translations:
Read in spanish
Votes:
1
Comments:
1
Followers:
390
Illustration:
Antoni Mañach
Author:

Antoni Mañach

Title:

Manifiesto S

Synopsis:

Los alumnos de segundo curso de diseño de la Escuela Superior de Diseño-ESDi, de Sabadell (Barcelona), escriben un manifiesto a favor de un diseño regido por valores éticos.

Votes:
30
Comments:
20
Idioma:
ES
FOROALFA ISSN 1851-5606 | Contactar | Publicidad | ©Luciano Cassisi 2005~2016