Design para o homem espiritual

O Design deve ajudar a alcançar o equilíbrio entre o homem material e o espiritual nesse novo seculo.

Retrato de Marcio Dupont Marcio Dupont São Paulo

Seguidores:
54
Opiniões:
1
Votos:
9
Compartir:

Nesse novo século o design deve se reinventar. Existir a partir de outra perspectiva, e não mais enfatizar e valorizar tanto o lado material do homem, como tem feito até agora, dando atenção ao homem espiritual, desde a criação de  uma nova realidade material de produção, consumo e descarte de acordo com os princípios do respeito, da cultura e da educação. Um universo que inclua o planeta Terra e todo os seus habitantes.

O design em uma futura situação ideal deveria equilibrar o homem material e espiritual. Porém, atualmente a tecnologia é ao mesmo tempo escrava e dona do homem material, nos dando a falsa idéia de sermos uma raça inteligente e em progresso constante.

Será o design atual reflexo externo do caos interno, da pobreza espiritual e moral do ser humano?

Esse caos se traduz em um contexto desequilibrado, que é o contexto do material e não do espiritual. Sendo assim as atuais crises ecológicas e financeiras são apenas uma exteriorização da pobreza espiritual do homem e da sua falta de respeito por toda e qualquer vida, inclusive a dele. Nós designers somos construtores de realidades, de estilos de vida, geramos novos paradigmas, por isso, podemos criar uma nova consciência e educar por meio do design!

A obrigação moral do designer

Temos a obrigação moral de propor, inovar e desenhar com uma nova visão, criando design com benefícios significativos e essenciais.

Podemos gerar serviços no longo prazo para uma determinada comunidade, sendo o homem espiritual o novo centro de atenção e, partir dele propor uma nova realidade sustentável de projeto, manufatura, consumo e descarte. Uma realidade com ênfase no emocional e na experiência do consumidor. O aspecto emocional deve ser o propulsor de novos conceitos a partir dos quais o aspecto tecnológico e material somente ajudará a materializar esse novo mundo.

A percepção sobre o design será diferente quando esse tiver um novo significado e for entendido por todos, trazendo qualidade de vida para uma maioria. Como exemplo temos o «design sustentável» em uma nova atitude para com o design da qual o homem faz parte de algo maior e não apenas isolado em sua suposta grandeza. É uma relação constante e consciente com o seu contexto. Não é possível continuar projetando produtos e serviços de modo inconsciente para o homem material, esquecendo de que sempre há uma ação-reação ainda que não seja visível imediatamente ou que produza efeitos em local distante de sua utilização.

Design, um direito de todos

Até agora o design não está disponível em massa para aqueles que não podem «con$umi-lo» quando deveria ser um direito básico e tão essencial quanto a educação, alimentação, saúde, ainda que estes últimos sejam escassos também em alguns países.

O design deve ter sempre uma participação com benefícios mais positivos, não apenas como um produto para ser consumido. Desenhar para o homem espiritual significa respeitar o planeta Terra e a natureza, otimizando o nosso entorno material, visível e invisível, criando qualidade de vida para todos.

É urgente uma regeneração moral e material acelerada do Homem, o planeta Terra não pode esperar e nós muito menos. O homem material deve dar o seu lugar ao homem espiritual e assim construiremos uma nova realidade material de acordo com o século 21, por meio de uma nova educação, cultura e principalmente pela paz do homem consigo mesmo.

Editor: Ana Bossler Porto Alegre

Seguidores:
54
Opiniões:
1
Votos:
9
Compartir:
Código QR para acesso ao artigo Design para o homem espiritual

Este artigo não expressa a opinião dos editores e responsáveis de FOROALFA, os quais não assumem qualquer responsabilidade pela sua autoria e natureza. Para reproduzi-lo, a não ser que esteja expressamente indicado, por favor solicitar autorização do autor. Dada a gratuidade deste site e a condição hiper-textual do meio, agradecemos que evite a reprodução total noutros Web sites.

Marcio Dupont

Mais artigos de Marcio Dupont

Título:
O Design: pensamento estratégico para a inovação
Resumo:
O design aplicado como pensamento estratégico na empresa gerando vantagens competitivas na forma de novos modelos de negócios, serviços e experiências.
Compartilhar:
Título:
Clara Porset, a cubana que reinventou o design no México
Resumo:
Este artigo é uma homenagem a Clara Porset Dumas, desenhista industrial cubana pouco conhecida no Brasil e até em Cuba, responsável por construir um novo México através do Design.
Compartilhar:
Título:
Design Thinking não é Design
Resumo:
Há uma febre de Design Thinking no mundo, levando a uma visão errada sobre a profissão do Design. O artigo questiona, não o Desing Thinking, mas a sua aplicação superficial.
Compartilhar:

Debate

Logotipo de
Minha opinião:

Ingresse com sua conta para opinar neste artigo. Se não a tem, crê sua conta grátis agora.

Retrato de Nana Monteiro
0
Nana Monteiro
Out 2013

Parabéns por este artigo.

0
Responder

Lhe poderiam interessar

Retrato de Marcos Beccari
Autor:
Marcos Beccari
Título:
O designer solipsista
Resumo:
Cada um de nós é como um peixe que não vê a água na qual está imerso e, por conseguinte, sua existência real (do peixe e da água) não passa de uma emaranhado de sentidos.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
9
Seguidores:
42
Ilustração principal do artigo O Foro, o foral, e pra fora!
Autor:
Alfredo Gutiérrez Borrero
Título:
O Foro, o foral, e pra fora!
Resumo:
Sobre a construção compartilhada de um design sem fronteiras geográficas, acadêmicas ou profissionais.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
1
Seguidores:
281