Iconicidade e velocidade de leitura

As virtudes da mensagem gráfica não verbal.

Norberto Chaves Barcelona
Followers:
3042
Comments:
0
Votes:
7
Compartir:

Na hora de transmitir uma ideia graficamente, um dos motivos (não o único) pela escolha de um ícone e não por uma palavra é a velocidade de leitura e interpretação. Uma exigência que, em condições extremas de tempo e de distância, não tem como não ser aceita. Nesses casos, a identificação do signo e seu significado tem de ser imediato e muito mais rápido que a leitura de uma palavra ou frase.

O pictograma é líder nesta função. E essa é a razão pela qual certos pictogramas se universalizaram (é o caso de «homens» e «mulheres» nos banheiros públicos) até transformar-se em signos convencionais, inclusive em sua forma gráfica. O normal é que, nos lugares de circulação massiva (aeroportos, por exemplo), se utilize internacionalmente o mesmo ícone: toda singularidade se volta contra o cumprimento de sua função. Além do que, nesses «não-lugares» a singularidade dos pictogramas carece de vantagens: não proporciona senão redução da significação. Buscar silhuetas atípicas para esses pictogramas seria tão absurdo como escolher uma família tipográfica «singular» para as telas de informação de voos.

Mas esta exigência de velocidade na leitura e interpretação do signo não se limita a estes sinais puramente funcionais. É também uma virtude da iconização de mensagens com funções mais complexas. É o caso daqueles cartazes nos quais se recorre a um ícone para aludir-ilustrar o conceito a ser transmitido.

O design de um cartaz que - por exemplo -, para anunciar a representação de uma ópera inclua uma imagem, deve descobrir o ícone exato, aquele que evoque imediatamente à obra e provoque a sensação de sua proximidade, eminência e valor cultural e, ademais, sugira a hierarquia artística proposta.

Deve disparar, com apenas uma imagem, todo o imaginário social, criado ou a ser criado, ao redor dessa ópera. Para isso, deverá achar a sinédoque potente, ou seja, a concentração do sentido do drama numa cena ou objeto chave (o lenço de Desdémona, em Otelo). Ou uma metáfora com voo poético (o coração partido das amantes de Don Giovanni ou a imagem do «convidado de pedra»).

Cartaz polonês para o filme Cabaret, dirigido por Bob Fosse (1972).

Como exemplo e, ao mesmo tempo, como homenagem ao seu autor, escolhi o célebre cartaz do celebríssimo filme de Bob Fosse. Uma síntese perfeita de cabaré e nazismo, pintura de uma época. Velocidade de leitura, pregnância, diafaneidade da mensagem e longa vigência do símbolo, com Liza Minelle como personagem «central».

A imagem deve conquistar a cumplicidade do leitor que, ao receber a mensagem, deve sentir: «exato! é isso!». E, se o resultado é brilhante, a resposta do leitor será um envolvimento emotivo, um impacto em sua sensibilidade e em sua inteligência, que ele reivindicara no emissor: «Que captação mais inteligente do sentido da obra!».

É com estes níveis de simbolização que se consegue a máxima eficácia da mensagem, ou seja, o cumprimento ótimo de sua missão: a qualidade da mensagem se contagia ao comunicado.

O que não pode acontecer jamais (e acontece com bastante frequência) é que o transeunte tenha que demorar na observação do cartaz na busca por decifrar seu sentido. À qualidade cultural da figura escolhida deve se somar a contundência e urgência de sua mensagem. A ambiguidade, que muitos consideram um valor, deve ser rejeitada como um autêntico defeito da mensagem.

Agregue-se a isso que, do ponto de vista estritamente econômico, a rentabilidade de um cartaz na via pública se mede pela quantidade de «impactos», ou seja, a quantidade de pessoas que detectam e compreendem a mensagem.

Moral da história: o designer, enquanto «iconizador», deve resolver dois desafios: encontrar o ícone inequívoco e transparente, e garantir que, inclusive nos casos de obviedade, a imagem esteja carregada de tensão, que «reverbere» e não morra no mesmo instante em que aparece.

Translated by Luiz Claudio Gonçalves Gomes Campos Dos Goytacazes
Followers:
3042
Comments:
0
Votes:
7
Compartir:

0 Comments

Comment

This article does not express the opinion of the editors and managers of FOROALFA, who assume no responsibility for its authorship and nature. To republish, except as specifically indicated, please request permission to author. Given the gratuity of this site and the hyper textual condition of the Web, we will be grateful if you avoid reproducing this article on other websites. Published on 02/02/2017.

Norberto Chaves

More articles by Norberto Chaves in Portuguese

Idioma:
PT
Title:

Verbal/não verbal como polaridade identificadora

Synopsis:

O papel do tipológico na referencia à identidade.

Share:
Idioma:
PT
Title:

Pensamento tipológico

Synopsis:

Um requisito fundamental para saber avaliar e desenhar corretamente signos gráficos marcários.

Share:
Idioma:
PT
Title:

As receitas no design de marca

Synopsis:

Comentários a partir das opiniões sobre meu artigo «Toda marca debe ser…».

Share:
Idioma:
PT
Title:

O estereotipo

Synopsis:

Virtudes e misérias dos lugares comuns na comunicação social.

Share:

You may be interested

Pablo Álvarez
Idioma:
ES
Author:

Pablo Álvarez

Title:

10 objetos fundamentales para el diseñador

Translations:
Share:
Interactions:
Votes:
316
Comments:
432
Followers:
176
Santiago Sánchez de Castro
Idioma:
ES
Author:

Santiago Sánchez de Castro

Title:

Debate: ¿Vivimos en una sociedad visualmente analfabeta?

Share:
Interactions:
Votes:
39
Comments:
21
Followers:
0
Alejandro Ortíz
Idioma:
ES
Author:

Alejandro Ortíz

Title:

Signar, resignar y persignar

Share:
Interactions:
Votes:
4
Followers:
15
Paola Marín
Idioma:
ES
Author:

Paola Marín

Title:

La Publicidad como directora de la novela de nuestras vidas

Translations:
Share:
Interactions:
Votes:
13
Comments:
3
Followers:
9
Miguel Angel Aguilera Aguilar
Idioma:
ES
Author:

Miguel Angel Aguilera Aguilar

Title:

El dibujo del cuerpo humano

Share:
Interactions:
Votes:
121
Comments:
84
Followers:
66
Mara Serrano
Idioma:
ES
Author:

Mara Serrano

Title:

Diseño Gráfico y metáfora

Translations:
Share:
Interactions:
Votes:
56
Comments:
37
Followers:
33
My opinion:

Login with your account to comment on this article. If you do not have it, create your free account now.

Upcoming online courses

Branding Corporativo

Branding Corporativo

Cómo planificar, construir y gestionar la marca de empresas e instituciones

4 weeks
17 Septiembre

Estrategia de Marca

Estrategia de Marca

15 claves para programar el diseño de símbolos y logotipos de alto rendimiento

4 weeks
29 Octubre

Relecturas del Diseño

Relecturas del Diseño

Una inmersión en el discurso sobre el diseño para despejar sus nociones más controvertidas: creatividad, innovación, arte, tecnología, función social...

4 weeks
28 Enero 2019

Branding: Diseñador y Cliente

Branding: Diseñador y Cliente

Tratar con el cliente, hacer presupuestos y planificar las etapas de la creación de una marca

3 weeks
22 Abril 2019

Auditoría de Marca

Auditoría de Marca

Taller de práctica profesional: análisis, diagnóstico y programa de marca sobre casos reales

6 weeks
22 Junio 2019