Primavera

O que eu penso do Design Thinking.

Retrato de Ronald Kapaz Ronald Kapaz São Paulo

Seguidores:
32
Opiniões:
8
Votos:
26
Compartir:
Ilustração principal do artigo Primavera

«Os alquimistas, na sua busca do ouro, descobriram muitas outras coisas de maior valor».

Arthur Schopenhauer

Vivemos todos, de alguma forma e por força do contexto, hipnotizados pela ilusão da felicidade que o «ouro» traz.

Time is money (tempo é dinheiro). Essa máxima que reverbera no subconsciente de cada um de nós como um mantra, ressona, embalando-nos, como um canto de sereia ou como uma ameaça. «A ditadura da performance e do pragmatismo» a que se referiu com precisão o novo Papa latino quando no Brasil, pode ser a tradução ou a causa do desconforto e angústia que vem levando jovens para as ruas no Egito, Turquia e Brasil. Batizamos isso de Primavera.

O mundo ficou triste. A corrida desenfreada pelo sucesso, pelos likes e pelos resultados, quase sempre numéricos, vem minando a conta-gotas, o território do sutil, do sensível, do misterioso e do mágico.

O desencantamento do mundo que se originou com a supremacia crescente da razão e do cientificismo provocou no homem, um ser simbólico por excelência, a perda do contato com sua dimensão emocional, instintiva, intuitiva, afetiva e vital.

«Em uma criatura sensível, o que não é feito através de uma afeição não produz nem o bem nem o mal na natureza daquela criatura».

Shaftesbury. Characteristics of men

Entender o mundo enfraqueceu nossa capacidade de sentir o mundo? 

E fez-se o Design Thinking...

Gosto de provocar, em todas as mesas de debates de que participei sobre o tema, a seguinte reflexão: por que neste exato momento de nossa história nasce uma nova disciplina como o «Design Thinking» e não um «Scientific Thinking», «Engineer Thinking» ou «Mathematical Thinking»? Por que o interesse no Design?

E gosto também de complementar a pergunta com a seguinte dúvida: nós, Designers, pensamos diferente? O que você acha? O que você pensa? O que você sente?

Eu sinto que houve aqui um erro cognitivo. Na tentativa de se alcançar um objetivo extremamente pertinente e oportuno – o de re-encantar o mundo – acabamos interpretando a solução como um «pensar». Nada mais sintomático…

A grande questão que provoca o interesse pelo Design e pelos designers não está, a meu ver, no «thinking», mas no «feeling». Nós, designers, não pensamos diferente, mas não apenas pensamos…nós sentimos o mundo de maneira diferente!

Eu teria batizado esta disciplina de «Design Feeling». Porque é a capacidade de sentir o mundo, usando o hemisfério direito de nosso cérebro, aquele que por falta de musculação acabou atrofiado na maioria dos homens, que diferencia o olhar do designer e provoca as respostas «fora da caixa», «mágicas», «criativas», «inovadoras» e todas as demais qualidades que se associam ao fazer do designer, e que tanto interessam aos executivos e gestores neste momento.

«Quem não entende um olhar, muito menos entenderá uma longa explicação».

Provérbio Árabe

Se é para inspirar não designers a «pensar como designers» que surgiu e se ensina o «Design Thinking», que seja não provocando os alunos e interessados a pensar, mas sim a sentir, através da reconecção com o mundo sensível, com os sentidos (olhar o mundo, ir a campo) e com a ação direta sobre a matéria (prototipagem, tato, visão), que estão no passo-a-passo da metodologia sistematizada como processo, mas que precisam ser evidenciadas como um sentir, e não como um pensar, para que se enderecem corretamente os desafios e os resultados desejados.

(…e não paro de me perguntar: por que são os designers que estão usando o Design Thinking?...)

É no voltar a sentir o mundo que pode estar a resposta a tanta angústia, violência, aceleração e inquietação. Mas que não seja novamente para a busca do «ouro», mas para o encontro de tantas outras coisas mais interessantes que deixamos pelo caminho e precisamos recuperar.

Os alquimistas estão chegando…

Editor: Marcio Dupont São Paulo

Seguidores:
32
Opiniões:
8
Votos:
26
Compartir:
Código QR para acesso ao artigo Primavera

Este artigo não expressa a opinião dos editores e responsáveis de FOROALFA, os quais não assumem qualquer responsabilidade pela sua autoria e natureza. Para reproduzi-lo, a não ser que esteja expressamente indicado, por favor solicitar autorização do autor. Dada a gratuidade deste site e a condição hiper-textual do meio, agradecemos que evite a reprodução total noutros Web sites.

Debate

Logotipo de
Minha opinião:

Ingresse com sua conta para opinar neste artigo. Se não a tem, crê sua conta grátis agora.

Retrato de Chico Neto
2
Chico Neto
Jan 2015

Ronald, sublime.

0
Responder
Retrato de Fran Silva
1
Fran Silva
Jun 2014

Ronald é primorosa a sua percepção sobre o Design Thinking obrigada! Extremamente rica a associação com o sentir e principalmente com Arthur Schopenhauer. Me fez resurgir o Mundo como vontade e representação, essa dicotomia entre o mundo da razão e o mundo do sentir, muito interessante a associação. É no que comporta ao Design ele pode mesmo ser utilizado como uma "ferramenta" para fazer se aguçar a concepção de que necessitamos mais sentir o que nos cerca, não só no Design mas em tudo em nossa volta.

Muito obrigada mesmo por essa percepção. Amei a ligação!

0
Responder
Retrato de Ana Leticia Perosa Ravagnani
2
Ana Leticia Perosa Ravagnani
Jan 2014

muito bom!!! vou compartilhar!

0
Responder
Retrato de Evandro Perotto
0
Evandro Perotto
Jan 2014

Gosto da perspicácia, da lucidez e sensatez com que aborda o assunto. Há no meio do design, com em algumas outras áreas vizinhas, proposições que acabam desvirtuando em modismos derivados, em sua maior parte, ou de apropriações utilitaristas e vis, ou de péssimos e superficiais entendimentos, ou mesmo de ambas as coisas. Ler uma reflexão tão interessante é um alívio! Muito agradecido pela sua reflexão, Ronald.

0
Responder
Retrato de Hemilton Tuco
1
Hemilton Tuco
Dez 2013

E eu tava lendo corrido, só ʼpassando o olhoʼ, porque é assim que tem sido muitas vezes na rapidez que nos é exigida dia-a-dia. Parei. Pensei. Senti que deveria voltar e ler direito. Li com calma, e foi melhor. Me fez bem. Acho coerente, e não quero perder este senso de sentir o mundo e traduzí-lo da melhor forma. Se possível, encantá-lo pelo menos um pouquinho com meu fazer diário no design. Obrigado pela reflexão.

1
Retrato de Ronald Kapaz
32
Ronald Kapaz
Dez 2013

É isso aí, Hemilton!

0
Responder
Retrato de Alexandre Fontes
2
Alexandre Fontes
Dez 2013

Interessante colocação, talvez nunca tenha pensado, ou melhor, sentido o Design Thinking desta forma.

O Design Thinking parece uma lenda aqui no Brasil. É muito falado, mas ainda parece pouco praticado, até mesmo designers bastante comprometidos com a pesquisa, metódicos na prática projetual, parecem sair cada vez menos dos seus escritórios para "sentir" o mundo.

Opinião bastante pessoal, mas construída com fragmentos de outros discursos, sinto uma falta nostálgica pelo que não pertence a minha geração, onde o designer manipulava a matéria pelos sentidos a fim de entender e transformar ela.

0
Responder
Retrato de Vinicius Mota
0
Vinicius Mota
Dez 2013

re-thinking about it..

1
Responder

Lhe poderiam interessar

Retrato de Rique Nitzsche
Autor:
Rique Nitzsche
Título:
Design é a adaptação criativa às restrições
Resumo:
Desde sempre o ser humano se adaptou e transformou dificuldades em oportunidades.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
6
Seguidores:
265
Ilustração principal do artigo Volkswagen: entendimento e cumplicidade do produto
Autor:
Alessandro Valerio Santos
Título:
Volkswagen: entendimento e cumplicidade do produto
Resumo:
Rápidas considerações a partir de Foucault e Magritte.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
4
Seguidores:
0
Retrato de Joaquin Presas
Autor:
Joaquin Presas
Título:
Cannes e o dia da mentira
Resumo:
Os prêmios são um assunto que despertam discussões acaloradas entre designers. No texto apresento uma breve reflexão sobre o tema.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
13
Opiniões:
2
Seguidores:
17
Retrato de António Lacerda
Autor:
António Lacerda
Título:
Nova identidade visual da Universidade do Algarve
Resumo:
As instituições e os serviços públicos têm características visuais - gráficas próprias e a necessidade de serem eficazes aumenta a importância da sua Imagem Institucional.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
13
Seguidores:
6
Retrato de Érico Fileno
Autor:
Érico Fileno
Título:
Tudo o que é sólido desmancha no ar
Resumo:
O papel do designer é pensar primeiro sobre experiências humanas, em vez de pensar na coisa em si.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
17
Opiniões:
5
Seguidores:
17
Ilustração principal do artigo O passado sombrio do currículo
Autor:
Marco Rinaldi
Título:
O passado sombrio do currículo
Resumo:
O currículo, como o conhecemos, chegou ao fim.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
10
Opiniões:
1
Seguidores:
72
Ilustração principal do artigo mini Rio: 100 miniaturas da cidade do Rio de Janeiro
Autor:
Fabio Lopez
Título:
mini Rio: 100 miniaturas da cidade do Rio de Janeiro
Resumo:
Uma homenagem dedicada, um minucioso exercício de design gráfico e um divertido passeio pela Cidade Maravilhosa.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
28
Opiniões:
24
Seguidores:
46
Retrato de Thales Aquino
Autor:
Thales Aquino
Título:
Quem é, como pensa e o que faz o «designer estratégico»
Resumo:
Entenda a função, a metodologia e a entrega de valor desse novo tipo de criativo.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
8
Opiniões:
1
Seguidores:
29