O que você acredita que seja Branding?

Muitos profissionais confundem «branding» com atividades de outras áreas. O texto a seguir surge da discussão sobre o seu significado e com as conclusões sobre o que é branding.

Retrato de Wesley Pinto Wesley Pinto São Paulo

Seguidores:
24
Opiniões:
5
Votos:
18
Compartir:
Ilustração principal do artigo O que você acredita que seja Branding?

Há certo tempo atrás houve uma discussão no Facebook, e nela as pessoas discutiam o que é branding e também o que não é e em poucas horas surgiram diversos pontos de vista, todos com seus fundamentos, conhecimentos e experiências. Foi impossível apontar quem estava errado, mas paradoxalmente, no fim também se concluiu que ninguém estava certo.

Muitos defendiam o branding como a identidade da marca, ou com aspectos relacionadas a publicidade, e poucos ao planejamento e estratégia. No entanto, talvez o erro foi querer determinar algum caminho específico e imutável para chegar a uma conclusão sobre o seu significado   e também negando o branding como o próprio caminho e por isso negligenciou-se o principal fato de que cada caso é um caso.

Marca é uma percepção que as pessoas possuem de um produto ou serviço. O branding por sua vez se encarrega de gerir que os consumidores percebam uma marca de forma positiva. Branding é a gestão da marca, também a construção, cujo objetivo é posicionar de maneira inteligente e atraente a marca na mente das pessoas.

Posicionamento é a mensagem principal de uma marca e sabendo que branding é então condutor para que a marca seja posicionada adequadamente, compreendemos o motivo de que cada caso é um caso. Enfim, nenhuma boa mensagem/marca se sustenta sem que a empresa seja reconhecida, apreciada e admirada em todos os seus aspectos tangíveis e intangíveis.

Muitas marcas necessitam de melhor infraestrutura, outras devem dar mais valor aos colaboradores e engajá-los, outras precisam se atentar a qualidade do serviço e atendimento ao cliente e obviamente trabalhar a sua identidade e a comunicação de maneira muito mais consistente. O branding define a estratégia e o caminho para a construção dos valores percebidos e almejados pelos clientes.

Valor percebido, de acordo com Kotler (2000) é uma equação composta por qualidade, preço e serviço, onde o consumidor calcula inconscientemente ou conscientemente as vantagens de adquirir certa marca. Branding é então o caminho para construir e evidenciar os valores para a marca.

Se no começo do texto apontou-se que todos na discussão acertaram é porque o branding obrigatoriamente deve estar atento a toda cadeia de valores e atividades da empresa (infraestrutura, recursos humanos, serviços, operações, marketing, comunicação e até possíveis aquisições e oportunidades de extensão de portfólio e mercado).

Finalmente, não existe uma receita definitiva para construir uma marca de valor e bem posicionada. Só existe o constante comprometimento com a qualidade, com a mensagem, com a consistência e com todas as pessoas e recursos ao redor da marca. O branding não é substituto das outras atividades, na verdade ele é uma maneira adicional de olhar o mundo através do viés da marca. O vital é compreender a importância de todos trabalharem juntos alinhados em prol de um objetivo: o sucesso do negócio!

Editor: Marcio Dupont São Paulo

Seguidores:
24
Opiniões:
5
Votos:
18
Compartir:

Bibliografia:

  • KOTLER,Philip.Administraçãode Marketing.SãoPaulo:Prentice Hall, 2000.

Adaptação do texto do blog da Wy Branding também escrito por Wesley Pinto.

Código QR para acesso ao artigo O que você acredita que seja Branding?

Este artigo não expressa a opinião dos editores e responsáveis de FOROALFA, os quais não assumem qualquer responsabilidade pela sua autoria e natureza. Para reproduzi-lo, a não ser que esteja expressamente indicado, por favor solicitar autorização do autor. Dada a gratuidade deste site e a condição hiper-textual do meio, agradecemos que evite a reprodução total noutros Web sites.

Wesley Pinto

Mais artigos de Wesley Pinto

Título:
Branding, enfoque e sucesso
Resumo:
Branding e foco. Descubra um grupo que necessite muito de algo e alinhe a proposta de valor da marca para eles.
Compartilhar:
Título:
São tantos ‘brandings’ por aí
Resumo:
Imagino a dificuldade das empresas para escolherem qual elas vão contratar.
Compartilhar:

Debate

Logotipo de
Minha opinião:

Ingresse com sua conta para opinar neste artigo. Se não a tem, crê sua conta grátis agora.

Retrato de Alexandre De Bastiani
1
Alexandre De Bastiani
Abr 2014

Ótimo artigo! Há hoje uma pá de designers, e infelizmente escritórios, que declaram "fazer branding"e não sabem (ou pior, nunca ouviram falar) o que é Brand Equity e/ou não leu Kotler e/ou David A. Aaker.

1
Retrato de Wesley Pinto
24
Wesley Pinto
Abr 2014

Exatamente Alexandre. Uma coisa é a gestão da marca, o branding, outra é o design que ela carregará. Não vejo mal algum em uma empresa de branding também desenvolver ou conduzir o design, pois elas são "responsáveis" pela marca. O problema é quando o escritório de design usa branding de forma equivocada ou as empresas o usam como desculpa para vender design.

É preciso entender que muitas marcas possuem ótimo design, mas a gestão de marca é ruim, o preço não condiz ao posicionamento, falha na entrega da promessa ou até na existência de uma e assim por diante.

Agradeço o comentário.

Abraços

0
Responder
Retrato de Wesley Pinto
24
Wesley Pinto
Mar 2014

Branding começa com um bom serviço e uma boa cultura empresarial, com colaboradores felizes e comprometidos em fazer o melhor para a empresa. Branding é a gestão da marca, marca a percepção das pessoas pela empresa e seus respectivos produtos e serviços, ou seja, tudo que contribui para a percepção positiva da empresa deve ser considerado pelo branding, afim de entregar a promessa da marca, gerar valor para marca, entregar beneficios para os consumidores e posicionar a marca de forma eficiente no mercado.

Muito obrigado por seu comentário Sandra Cameira

1
Responder
Retrato de Sandra Cameira
1
Sandra Cameira
Mar 2014

O branding é uma atividade plural, multidisciplinar e que pode ser trabalhada em instâncias distintas e por diferentes meios. O problema é que muita gente faz identidade visual corporativa e diz, equivocadamente, que está fazendo "branding". De fato, um trabalho consistente de identidade visual contribui para o branding, visto que uma marca se fortalece quanto possui uma identidade clara e bem construída. Mas não é só isso. A palavra branding virou modismo para justificar um "upgrade" profissional e nem sempre o trabalho entregue ao cliente é branding pra valer.

1
Retrato de Wesley Pinto
24
Wesley Pinto
Mar 2014

Exatamente Sandra :) Obrigado por comentar o artigo

Isso que defendo no meu dia a dia e é o que oferecemos na Wy Branding. A princípio fazíamos design, ainda fazemos alguns trabalhos de design, mas hoje nosso core é estar ao lado das empresas assessorando nas decisões, estratégia e ações ligadas a marca. Trabalhamos no longo prazo, no curto somos consultoria.

0
Responder

Lhe poderiam interessar

Retrato de Norberto Chaves
Autor:
Norberto Chaves
Título:
Um «Houdini gráfico»
Resumo:
O papel combinado das restrições programáticas e a criatividade na conquista da eficácia da mensagem.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
7
Seguidores:
3077
Retrato de Eréndida Mancilla
Autor:
Eréndida Mancilla
Título:
Construção da Marca Cidade
Resumo:
Atualmente, as cidades competem para atrair um maior número de visitantes. Isso gerou uma nova maneira de ver a cidade contemplando sua «identidade» em uma Marca Cidade.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
4
Seguidores:
87
Retrato de Guillermo Dufranc
Autor:
Guillermo Dufranc
Título:
Honestypack: a evolução do branding no packaging
Resumo:
O fenômeno das marcas que querem dizer que são «honestas» por meio do desenho estrutural e gráfico, está criando um novo padrão na comunicação.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
3
Seguidores:
406
Retrato de Ignacio Jaén
Autor:
Ignacio Jaén
Título:
O que é a narrativa transmídia
Resumo:
Hoje, as marcas se perguntam como envolver seus clientes potenciais contando una historia que defina o produto.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
0
Seguidores:
17
Retrato de Ana Bossler
Autor:
Ana Bossler
Título:
O design continuity e o piracy paradox
Resumo:
Uma análise da necessidade de um novo marco legal de IP desde a correlação entre os ciclos da moda e da difusão da inovação.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
4
Opiniões:
2
Seguidores:
72
Retrato de Ana Bossler
Autor:
Ana Bossler
Título:
A política econômica e o fast fashion
Resumo:
A influência do neoliberalismo como teoria econômica no fenômeno do fast fashion.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
4
Opiniões:
2
Seguidores:
72