Julio Teixeira

Julio Teixeira

Florianópolis (Santa Catarina) Brasil

Seguidores:
9
Votos:
13
Opiniones:
9
Artículos publicados:
1

Diseñador Gráfico profesional, docente con 18 años de trayectoria. Estudia en Universidade Federal de Santa Catarina.

Áreas de interés: Diseño Audiovisual, Diseño de Indumentaria, Diseño Gráfico, Diseño Industrial, Publicidad, Comunicación, Ilustración, Branding

Idioma:
PT
Título:
Design: Importante ou imprescindível?
Sinopsis:
Entre os textos e relatos de acadêmicos e de profissionais ligados ao design, percebe-se que um assunto permeia recorrentemente as discussões: O Reconhecimento da Profissão.
Compartir:

Doutorando do curso de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da UFSC - Brasil, é Mestre em Design e Expressão Gráfica pela UFSC (2011), possui graduação em Design Gráfico pela UDESC (2005). Atualmente é Bolsista de Pesquisa CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e atua como pesquisador. Tem experiência profissional e acadêmica em Design e Gestão principalmente em abordagens relacionadas a Branding, Processos de Desenvolvimento de Projetos, Gestão Visual, Melhoria Contínua, Atendimento Comercial, Projeto Visual e Ilustrações.

9

Abr 2014 Mi respuesta en el diálogo iniciado por Yuri Matheus Gomes en el artículo Design Thinking não é Design

Oi Mauricio, vi esta entrevista com Bruce Nussbaum da Parsons sobre DT e achei que poderia interessar, gostei da leitura e indico: Enlace

0
9

Abr 2014 Mi respuesta en el diálogo iniciado por Yuri Matheus Gomes en el artículo Design Thinking não é Design

Marcio, neste ponto eu concordo 100% contigo. Mas a questão é que vejo a situação do DT mais positiva do que negativa. A engenharia aproveita-se da credibilidade que possui com os números para dominar cadeiras estratégicas, sem deixar de fazer engenharia. Se bem administrado o DT pode ser uma ótima oportunidade para mostrarmos o valor do nosso modo de pensar. Isso pode se mostrar muito valioso em certas áreas e situações que não são tradicionalmente do design.

0
9

Abr 2014 Mi respuesta en el diálogo iniciado en el artículo Design Thinking não é Design

Concordo com Bonsiepe. Mas e quando o design, a partir de seu modus operandi (ou de parte dele), inova de forma estratégica? Qdo ele (re)desenha processos, serviços ou identifica público-alvo? Ele passa a atuar em "áreas" que não são tradicionalmente de design (ex. mkt, modelos de negócios, ensino, mapeamento de padrões, pensamento visual..)? A meu ver o design também está atuando sobre as premissas de Bonsiepe, mas numa esfera diferente, e isso tem grande valor! Em outros tempos (tempo dos números) a engenharia também valorizou seu modo de pensar para ganhar maior espaço no meio empresarial.

0
9

Abr 2014 Mi opinión en el artículo Design Thinking não é Design

Marcio,

Quando quando li as primeiras publicações sobre DT tive a mesma impressão. Depois de algum tempo passei a encarar ele como a velha a Gestão de Design (que muitas vezes me reportava as teorias de adm, só que de forma mais superficial e, com mais cores e desenhos). Porém, depois de algum tempo comecei a ver novos livros e artigos que apresentavam ferramentas e processos de design aplicados em outras demandas e realidades, aparentemente distantes do "design tradicional", e com resultados "fora da caixa". Então passei a aceitar que o DT era de fato uma força motriz em processos inovadores.

0
9

Jul 2013 Me gusta el artículo:

9

Jul 2013 Artículo traducido:

9

Jun 2013 Me gusta el artículo:

9

Muito interessante a representação do modelo de processo por meio de infográfico. Inclusive a lógica, serve para outros processos de design e áreas afins. Tens outros materiais, gostaria de citá-lo, também tenho interesse de trocar umas informações... Parabéns pelo texto.

1
9

May 2012 Mi opinión en el artículo Diseño industrial para la pequeña agricultura familiar

Muito interessante Javier! A minha dissertação de mestrado também foi direcionada pequenos produtores agrícolas, porém mais voltada para a identificação e proteção dos produtos. Se tiveres interesse podemos trocar algumas ideias e informações... podes ver minha dissertação neste link do meu website: Enlace%C3%A7%C3%A3o_Julio_Teixeira.pdf

0
9

Abr 2012 Me gusta el artículo:

9

Abr 2012 Mi respuesta en el diálogo iniciado en el artículo Quer experimentar?

Luiz, o fato de existir uma grande recorrência de designers sendo solicitados a atuar como loja de roupas é, muitas vezes, o preço pago pela postura e discurso de muitos deles (e de + muitos «pseudo-designers»). A regulamentação e amadurecimento da profissão no Brasil, com o tempo, nos auxiliará a minimizar tal forma de trabalho. De fato, o maior preço pago por essa falta de reconhecimento da profissão ocorre por culpa de nós designers, ao nos negligenciarmos em explicar, demonstrar e até impor essa experimentação que você propõe, enquanto isso não acontecer à maior culpa não será do cliente.

1
9

Abr 2012 Mi opinión en el artículo Quer experimentar?

Luiz Renato,

Seu artigo é esclarecedor, especialmente, ao comparar de forma exemplificada: a situação esperada (projeto de alfaiate) e o cenário de projeto que muitos designers vivenciam (loja de roupas). No entanto, ao final uma pergunta fica no ar (acredito que propositalmente) sem evidenciar para quem ela é direcionada «Quer experimentar?» Tal pergunta cabe bem tanto para quem contrata o serviço (cliente), como para que oferta (designer).

0
9

Mar 2012 Me gusta el artículo:

9

Mar 2012 Mi respuesta en el diálogo iniciado por Alfredo Gutiérrez Borrero en el artículo Design: Importante ou imprescindível?

Concordo Alfredo. Não podemos esperar tal reconhecimento social, enquanto postura e discurso profissional forem raridades no meio. Fóruns como esse são instrumentos poderosos para incitação de discussões, ideologias, posturas profissionais, normalizações de boas práticas etc. Portanto, parabéns Foroalfa.

2
9

Mar 2012 Artículo publicado en FOROALFA: