Design é a adaptação criativa às restrições

Desde sempre o ser humano se adaptou e transformou dificuldades em oportunidades.

Retrato de Rique Nitzsche Rique Nitzsche Rio de Janeiro Seguidores: 270

Opiniões:
0
Votos:
6
Compartir:

A pirâmide amarela faiscante era completamente irresistível. Linda. A enorme pilha estava descarregada no porto de Monte Dourado, a principal cidade do Projeto Jarí. Fascinado pelo grito da cor na selva do Pará, desci a rampa que me levaria à uma bela foto. Então, o vento mudou!

O odor do enxofre foi um radical nocaute nos sentidos. Em décimos de segundo, meus olhos se encheram de lágrimas e o pulmão, pernas e mente se paralisaram. No cérebro, um alerta de sobrevivência me fez voltar e rastejar lentamente ladeira acima. Foi a experiência mais aterrorizante da minha vida, até então.

Não é a toa que o enxofre é relacionado com o inferno. Os mineiros de enxofre catam o elemento puro com as mãos livres até hoje. Mas, como eles aguentam o intenso cheiro de coisa podre? Seus cérebros se adaptaram à necessidade. O nariz adormecido bloqueia o odor infernal.

 A biologia sempre nos adaptou às restrições

 Thomas Friedman escreveu sobre sua admiração por Taiwan. A ilha é «uma rocha nua em um mar repleto de tufões sem recursos naturais que lhe permitam sobreviver. Ela precisa importar até areia e cascalho da China para construção, mas tem a quarta maior reserva financeira do mundo. Porque em vez de escavar a terra, Taiwan cultiva seus 23 milhões de habitantes, seu talento, energia e inteligência».

 Nós brasileiros temos também nossas ilhas extraordinárias. O Ciep Glauber Rocha, vizinho «a um reduto do tráfico, onde as taxas de homicídio superam em vinte vezes a média da Zona Sul» do Rio conquistou 8,5 no Ideb, o lugar mais alto do ranking do Rio de Janeiro e em segundo lugar no Brasil. Esse exemplo de superação tem uma responsável, Ioliris Paes Alves, na administração da escola há 17 anos, engajando os pais dos alunos, cultivando a leitura, organizando o currículo e incentivando os professores.

 Outra ilha de excelência é a pequena Paulista, uma cidade do alto sertão da Paraíba onde não chove desde outubro de 2011. Lá, no interior semiárido, a maestrina é a professora Jonilda Alves Ferreira. Sua pequena turma de alunos conquistou na Olimpíada de Matemática de 2012 incríveis 22 prêmios. Onde Jonilda achou tantos talentos? O número de habitantes de Paulista é 3,5 menor do que a capacidade do menor estádio da Copa do Mundo de 2014, em Curitiba. Pois nessa concentração de restrições, Jonilda consegue ser uma fonte de energia que transborda a sua sala de aula e invade a sua apertada sala de estar, onde dá aulas de reforço grátis para quem quiser.

 Por último, a Associação Di Thiene, em São Caetano do Sul, onde Marcos Goto treina o campeão olímpico de ginástica Arthur Zanetti. O abafado ginásio com goteiras não oferece equipamentos adequados e suficientes. Os poucos que existem estão avariados. Foi lá, nessa ilha de restrições, que o atleta se preparou sem patrocinador e sem qualquer apoio da Confederação Brasileira de Ginástica. A medalha de ouro olímpica deve ter um brilho especial para ambos.

«Mentes criativas são conhecidas por resistirem a todo tipo de maus tratos». Anna Freud

 A diferença fundamental é que as nossas ilhas foram inseminadas pelo talento de poucos dedicados. A oriental Taiwan é o resultado de uma cultura que não depende de abnegados isolados, mas de um permanente processo coletivo.

 A Inglaterra de Tony Blair gerou um movimento chamado «Cool Britannia», um movimento de re-posicionamento estratégico do Reino Unido no cenário global. Com início em meados da década de 90, essa re-orientação das indústrias criativas produziu uma nova geração de empreendedores.

Pela pobre herança dos políticos brasileiros, não devemos esperar que o governo assuma um papel semelhante. Pelo conservadorismo do nosso empresariado não seria prudente esperar que as tradicionais empresas invistam na indústria criativa como solução para o impasse econômico.

Os brasileiros e os sul-americanos deveriam assumir coletivamente as imensas restrições do continente para gerar uma cultura permanente de inovação reversa, que Vijay Govindarajan tanto defende. Somos capazes disso. Afinal, os brasileiros recriaram gloriosamente o Carnaval, uma experiência coletiva que falava grego antes de Cristo. Agora, temos a web para reverberar a nossa voz criativa.

Design é a capacidade de tornar tangível uma intenção de transformação

Vamos então empreender uma fraterna colaboração. Se precisarmos de uma ferramenta para facilitar a criatividade grupal, experimentem o design thinking e vamos ser felizes juntos. O design thinking é uma metodologia desenvolvida para resolver problemas complexos de forma empática, interdisciplinar, colaborativa e centrada na diversidade humana. A sua prática abre a cabeça, incentiva os sentidos, enfrenta os limites e foca na solução dos problemas.

O Brasil «deitado eternamente em berço esplêndido» quer se levantar e clama por uma nova geração de inovadores. Vamos inventar um novo futuro brasileiro que supere as restrições com ousadia, criatividade, irreverência e descontração.

O que você acha? Compartilhe sua opinião agora! Necesitamos tu ayuda para continuar produciendo contenidos gratuitos. Considera apoyar el trabajo de FOROALFA con una donación de cualquier valor en PayPal.


Este vídeo pode lhe interessar👇👇👇

Retrato de Rique Nitzsche Rique Nitzsche Rio de Janeiro Seguidores: 270

EdiçãoMarcio Dupont São Paulo Seguidores: 65

Opiniões:
0
Votos:
6
Compartir:

Colabore com a difusão deste artigo traduzindo-o

Traduzir ao espanhol Traduzir ao inglês Traduzir ao intaliano
Código QR para acesso ao artigo Design é a adaptação criativa às restrições

Este artigo não expressa a opinião dos editores e responsáveis de FOROALFA, os quais não assumem qualquer responsabilidade pela sua autoria e natureza. Para reproduzi-lo, a não ser que esteja expressamente indicado, por favor solicitar autorização do autor. Dada a gratuidade deste site e a condição hiper-textual do meio, agradecemos que evite a reprodução total noutros Web sites.

Baixar PDF

Rique Nitzsche

Más artículos de Rique Nitzsche

Título:
O design dos negócios
Resumo:
Design não é mais uma estética que se aplicava ao final de um processo. Design é o próprio processo.
Compartilhar:
Título:
Design desde o início da Humanidade
Resumo:
Somos viciados em novidades. «Storytelling» é uma das novas tendências do presente. Mas, ela não nasceu ontem.
Compartilhar:
Título:
A interseção entre arte e tecnologia
Resumo:
O design no desenvolvimento dos negócios da Sony e da Apple.
Compartilhar:
Título:
Empatia e design na evolução humana
Resumo:
Empatia é o primeiro atributo que um designer deve possuir.
Compartilhar:

Debate

Logotipo de
Sua opinião

Ingresse com sua conta para opinar neste artigo. Se não a tem, crê sua conta grátis agora.

Lhe poderiam interessar

Retrato de Alvaro Magaña
Autor:
Alvaro Magaña
Título:
Design e dinheiro
Resumo:
Para que seguimos a carreira de designers? Por lucro ou altruismo? O que passamos com o dinheiro é o que subordina as respostas destas perguntas.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
6
Opiniões:
5
Seguidores:
99
Retrato de Joaquin Presas
Autor:
Joaquin Presas
Título:
Cannes e o dia da mentira
Resumo:
Os prêmios são um assunto que despertam discussões acaloradas entre designers. No texto apresento uma breve reflexão sobre o tema.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
13
Opiniões:
2
Seguidores:
17