Autêntico design

Assim como não há nada mais feio que o excessivamente belo, o risco de não ser compreendido é potencialmente mais autêntico que o risco de não errar.

Retrato de Marcos Beccari Marcos Beccari São Paulo

Seguidores:
42
Opiniones:
5
Votos:
14
Compartir:

O que torna um trabalho de design autêntico? Aliás, o que é autenticidade? Em âmbito interpessoal, dizem que «ser autêntico» é ser você mesmo, sendo uma objeção básica afirmar que é impossível deixar de ser «você mesmo». Uma definição mais elaborada, por conseguinte, seria a de aceitar quem você é e fazer disso o norte para aquilo que você quer se tornar. O problema é que essa aceitação pode rimar com resignação, isto é, resistência à mudança.

Desvencilhando-nos da ideia de imobilidade ou mudança, outro caminho a seguir seria a autenticidade, apenas como sinceridade para consigo mesmo. Tal definição só seria consistente, entretanto, caso houvesse uma pessoa que não carregasse consigo valores contraditórios. É quase unânime estimar a sinceridade em si, mas há diversas situações cotidianas em que essa entra em conflito com outros valores: seu melhor amigo está traindo a namorada e, se você quiser ser sincero com ela, corre o risco de perder a amizade dele.

Acho que ser autêntico não é tanto uma virtude/qualidade. Quando muito, é uma escolha relacionada à intensidade subjetiva. Algumas pessoas se sentem autênticas quando escolhem viver cada momento como se fosse o último, como se fosse eterno enquanto dura. Outras pessoas sentem-se autênticas com o contrário, isto é, vivendo a eternidade na expectativa e na lembrança. Podem ser as duas coisas juntas, mas ambas dependem de uma escolha.

Claro que não é uma escolha fácil: diante de um quadro do Magritte, podemos entregar-nos a uma epifania inédita e/ou não resistir ao inevitável espanto do «onde foi que eu já vi isso?». A isso soma-se o paradoxo de que a autenticidade de um objeto somente é percebida enquanto tal, não porque o objeto reflete uma intimidade pessoal mas, principalmente, porque traz consigo experiências impessoais. Neste ínterim, talvez seja pertinente retomarmos os conceitos de vestígio e aura em Walter Benjamin (1994, p. 226):

O vestígio é o aparecimento de uma proximidade, por mais distante que esteja daquilo que o deixou. A aura é o aparecimento de uma distância, por mais próximo que esteja daquilo que a suscita. No vestígio, apossamo-nos das coisas; na aura, ela se apodera de nós.1

De acordo com o autor, a obra de arte teria perdido, na modernidade, a «aura» que a singularizava com o advento da reprodutibilidade técnica, o que também acabou invertendo o papel do espectador que, por sua vez, passou a narrar sua própria individualidade através da impessoalidade da obra.

Mas o que nos interessa é o que diz a citação: vestígio relacionado com o passado, proximidade e posse, e aura relacionada com o futuro, distância e desposse. A autenticidade de um objeto de design manifesta-se em via dupla: por um lado, quando o objeto se apresenta como vestígio do usuário (por identificação, aproximação) e, por outro, quando o usuário lhe atribui uma aura, distanciando-se solenemente desse objeto que então «não o pertence». A autenticidade em si, portanto, não depende de comparação, ao contrário do valor que atribuímos a ela quando a transformamos em discurso.

O «autêntico» enquanto discurso é via de regra fingimento. Seja pagando fortunas numa calça velha com a marca Diesel, seja superestimando a diversidade cultural (aquilo que nos parece diferente), vestígio e aura desaparecem com o dogma do «depende do ponto de vista». É verdade que a autenticidade de um objeto não está no próprio objeto mas sim na forma como ele é apropriado e articulado numa cadeia discursiva. Quando a oferta de autenticidade é maior que sua demanda (o que é frequente no design), esse discurso perde todo o sentido.

Dito de outra forma, o valor do «autêntico» não é estabelecido apenas através do discurso, mas especialmente quando, de tanto fingirmos, nos tornamos sinceros ao escondermos uma mesma coisa.

Não sabemos ao certo, por exemplo, o que as pessoas esperam quando adquirem um produto Apple, e é justamente isso o que tentamos esconder: o fato de que ninguém sabe exatamente o que esperar de um autêntico Apple. E quando descobrimos que o perfume extasiante daquela garota é um Victoria’s Secret (que nem é tão secreto, já que muitas mais também o usam), tiramos-lhe a máscara de sua aura e corremos o risco de apagar qualquer vestígio de nosso fascínio inicial.

Quero dizer que a autenticidade mantém-se reservada, parcialmente intransponível e nunca inteiramente exposta. Acima de tudo: assim como não há nada mais feio que o excessivamente belo, o risco de não ser compreendido é potencialmente mais autêntico que o risco de não errar.

Editor: Alvaro Sousa V N Gaia

Seguidores:
42
Opiniones:
5
Votos:
14
Compartir:
  1. BENJAMIN, W. Obras escolhidas III – Charles Baudelaire, um lírico no auge do capitalismo. 3. ed. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1994.
Código QR de acceso al artículo Autêntico design

Este artículo no expresa la opinión de los editores y responsables de FOROALFA, quienes no asumen responsabilidad alguna por su autoría y naturaleza. Para reproducirlo, salvo que estuviera expresamente indicado, por favor solicitar autorización al autor. Dada la gratuidad de este sitio y la condición hiper-textual del medio, agradeceremos evitar la reproducción total en otros sitios Web.

Marcos Beccari

Más artículos de Marcos Beccari

Idioma:
PT
Título:
Esconder e revelar
Sinopsis:
Preferindo imagens a conceitos, os designers mantêm o aspecto «enigmático» do mundo e revelam ao mesmo tempo, novas formas de olhar para este mundo.
Compartir:
Idioma:
PT
Título:
O designer solipsista
Sinopsis:
Cada um de nós é como um peixe que não vê a água na qual está imerso e, por conseguinte, sua existência real (do peixe e da água) não passa de uma emaranhado de sentidos.
Compartir:

Debate

Logotipo de
Mi opinión:

Ingresa con tu cuenta para opinar en este artículo. Si no la tienes, crea tu cuenta gratis ahora.

Retrato de Fernanda Filgueiras
1
Fernanda Filgueiras
Dec 2012

Atribuem a seguinte frase a Fernando Pessoa: «to define beauty is to misanderstand it». Talvez não desvendar inteiramente um design ou uma pessoa ajude a preservar um pouco do mistério e da fascinação...

1
Retrato de Alvaro Sousa
13
Alvaro Sousa
Feb 2013

«Definir o belo é não o compreender». É estranho ver um autor maior da língua portuguesa ser citado em inglês...

0
Retrato de Nuno Sousa
0
Nuno Sousa
Feb 2013

Pessoa escreveu muito em inglês, até foi tradutor.

0
Retrato de Alvaro Sousa
13
Alvaro Sousa
Feb 2013

Sim, e daí? vou completar as reticências:

«É estranho ver um autor maior da língua portuguesa ser citado em inglês, na resposta a um artigo traduzido em português».

Se fosse em francês ou castelhano, faria a mesma observação, a não ser que o comentário fosse integralmente nessa língua. Para além disso, em português soa muito melhor (acho eu).

0
Responder
Retrato de Ana Carolina Mil
6
Ana Carolina Mil
Nov 2012

La premisa del artículo es rara, me parece...

«excesivamente bello» es una contradicción, no hay belleza en los excesos... verdad?

y a lo bello no le sobra ni le falta, era así? Saludos! intreresante artículo..

1
Responder

Te podrían interesar

Retrato de Luciano Cassisi
Autor:
Luciano Cassisi
Título:
El diseño y los géneros discursivos
Sinopsis:
Hay quienes sostienen que las producciones diseñadas conforman un género discursivo. Este artículo revisa esa idea, confrontándola con la práctica profesional del diseño.
Compartir:
Interacciones:
Votos:
33
Opiniones:
8
Seguidores:
1341
Retrato de Rafael Iglesia
Autor:
Rafael Iglesia
Título:
El futuro, un con-texto improbable
Sinopsis:
Con la irrupción de las distintas tecnologías algunas cosas se ganan y otras se pierden.
Compartir:
Interacciones:
Votos:
7
Opiniones:
4
Seguidores:
5
Retrato de Eduardo Zambrano Cerezo
Autor:
Eduardo Zambrano Cerezo
Título:
Actualización profesional y docente
Sinopsis:
Hoy más que nunca la actualización docente resulta necesaria para adaptarse a las nuevas tendencias derivadas de los avances tecnológicos y las crecientes exigencias del mercado.
Compartir:
Interacciones:
Votos:
36
Opiniones:
10
Seguidores:
2
Ilustración principal del artículo Un grito en el muro
Autor:
Ingrid Alicia Fugellie Gezan
Título:
Un grito en el muro
Sinopsis:
La hiperproductividad visual que caracteriza nuestro presente.
Compartir:
Interacciones:
Votos:
13
Seguidores:
20
Ilustración principal del artículo Nuevo logo para el gobierno de Chile: ¿Ud. qué opina?
Autor:
FOROALFA
Título:
Debate: Nuevo logo para el gobierno de Chile: ¿Ud. qué opina?
Sinopsis:
Los signos gráficos identificadores del nuevo gobierno electo de Chile han suscitado la polémica entre los diseñadores y expertos chilenos.
Compartir:
Interacciones:
Votos:
176
Opiniones:
217
Seguidores:
572
Retrato de Milton Glaser
Autor:
Milton Glaser
Título:
Ambigüedad y verdad
Sinopsis:
«Hacer las cosas claras». Suena fácil: identificar la audiencia, comprender sus deseos, apelar a sus intereses, eliminar lo irrelevante y favorecer la «comunicación efectiva». Bueno… es posible que no sea tan fácil.
Compartir:
Interacciones:
Votos:
67
Opiniones:
9
Seguidores:
548

Próximos cursos online

Desarrollamos para ti los mejores cursos online de actualización profesional, que te permitirán formarte y especializarte de la mano de renombrados especialistas

Relecturas del Diseño

Relecturas del Diseño

Una inmersión en el discurso sobre el diseño para despejar sus nociones más controvertidas: creatividad, innovación, arte, tecnología, función social...

4 semanas
4 Marzo

Auditoría de Marca

Auditoría de Marca

Taller de práctica profesional: análisis, diagnóstico y programa de marca sobre casos reales

6 semanas
8 Abril

Branding Corporativo

Branding Corporativo

Cómo planificar, construir y gestionar la marca de empresas e instituciones

4 semanas
20 Mayo

Estrategia de Marca

Estrategia de Marca

15 claves para programar el diseño de símbolos y logotipos de alto rendimiento

4 semanas
24 Junio

Branding: Diseñador y Cliente

Branding: Diseñador y Cliente

Tratar con el cliente, hacer presupuestos y planificar las etapas de la creación de una marca

3 semanas
2 Septiembre