Artesanato e Design

O artesanato não pode se limitar a reprodução de utensílios do passado. Existe um mercado marginal de produtos artesanais que precisa ser atendido pelo desing.

Retrato de André Ricard André Ricard Barcelona Seguidores: 466

Opiniões:
0
Votos:
10
Compartir:

Em um mundo globalizado a produção seriada em larga escala se faz conveniente para suprir o macro mercado global unificado. Esse modelo favorece os países com maior poder econômico e que produzem, como efeito colateral, a imposição do seu modo de vida através dos seus produtos em contextos socioculturais muito divergentes. Globalizar (é) uniformizar e homogeneizar o mercado, atropelando culturas as nativas, atropelando e suplantando as mesmas. Os produtos globalizados em nada têm a ver com as peculiaridades das culturas nas quais eles são comercializados, de modo que esse sistema gera um lamentável empobrecimento da cultura local.

Diante desse cenário, somente o fazer artesanal pode ainda reter essa pluralidade de sensibilidades que existem e criar produtos que levem em conta as necessidades e os gostos de pessoas e mercados minoritários. Produtos elaborados em series limitadas e fabricados com materiais nobres. A nobreza desses materiais reside em sua vasta história de confiabilidade a serviço do Homem (com H maiúsculo). A madeira, o cristal, a cerâmica e os metais básicos são materiais que permitiram a maior e a melhor parte do progresso da cultura objetual humana. Essa nobreza está em destaque por serem estes materiais naturalmente renováveis e recicláveis. Materiais que em nenhum momento agridem o seu entorno: não geram poluição, são recicláveis e possuem qualidades estéticas e organolépticas que não encontramos nos materiais artificiais gerados pelos alquimistas da sociedade industrial.

Houve um tempo em que se temia que os processos produtivos industriais fossem suplantar o artesanato a um nível da lembrança, um vestígio do passado para recordações turísticas. Isso não aconteceu, muito pelo contrário. A hipertrofia em que se encontra a produção industrial faz com que se valorizem cada vez mais as qualidades que são oferecidas pela elaboração artesanal. E não é somente o público que reclama por produtos mais atentos as expectativas particulares de um determinado mercado. Os designers também querem criar obras mais exclusivas, menos seriadas e massificadas pensadas para um público mais próximo e específico. Uma linha de colaboração entre o mundo do design e do artesanato é possível e desejável. Ela permite oferecer objetos mais próximos das pessoas. Objetos úteis, de caráter contemporâneo que não são regidos pelas duras leis homogeneizadoras do sistema, mas que levariam em conta a diversidade das sensibilidades que coexistem.

A colaboração entre artesão e designers parece muito coerente. Uma colaboração em que cada parte possa aportar seu talento:

  • O artesão seu perfeito domínio de um ofício que permite realizar obras que só são possíveis através de técnicas e materiais que a indústria não domina.

  • O designer, sua capacidade para detectar nas coisas mais cotidianas aqueles aspectos que podem ser melhorados e imaginar o modo e as formas de fazê-lo.

A colaboração entre artesanato e design seria então um modo de relacionar o «saber fazer» com o «saber que faz».

O que você acha? Compartilhe sua opinião agora! Necesitamos tu ayuda para continuar produciendo contenidos gratuitos. Considera apoyar el trabajo de FOROALFA con una donación de cualquier valor en PayPal.


Este vídeo pode lhe interessar👇👇👇

Retrato de André Ricard André Ricard Barcelona Seguidores: 466

TraduçãoLucas Monteiro Rocha Faria Belo Horizonte Seguidores: 6

Opiniões:
0
Votos:
10
Compartir:

Colabore com a difusão deste artigo traduzindo-o

Traduzir ao intaliano
Código QR para acesso ao artigo Artesanato e Design

Este artigo não expressa a opinião dos editores e responsáveis de FOROALFA, os quais não assumem qualquer responsabilidade pela sua autoria e natureza. Para reproduzi-lo, a não ser que esteja expressamente indicado, por favor solicitar autorização do autor. Dada a gratuidade deste site e a condição hiper-textual do meio, agradecemos que evite a reprodução total noutros Web sites.

Baixar PDF

André Ricard

Más artículos de André Ricard

Título:
Design e vida cotidiana
Resumo:
Os designers podem melhorar a qualidade de vida das pessoas projetando objetos de baixa tecnologia onde a forma do objeto facilite a sua função.
Compartilhar:
Título:
O design na sociedade do espetáculo
Resumo:
O design deve modificar sua imagem frívola e lúdica, por a de uma disciplina disciplina útil ao desenvolvimento e ao progresso.
Compartilhar:
Título:
O adorno
Resumo:
Uma incitação a reconsiderar o papel do enfeite no design.
Compartilhar:

Debate

Logotipo de
Sua opinião

Ingresse com sua conta para opinar neste artigo. Se não a tem, crê sua conta grátis agora.

Lhe poderiam interessar

Retrato de Pau De Riba
Autor:
Pau De Riba
Título:
A realidade de «reality»
Resumo:
Temos saudades da autenticidade pre-marketing, criámos uma estética de tradição e de artesanato artificial
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
4
Seguidores:
48
Retrato de Julio Teixeira
Autor:
Julio Teixeira
Título:
Design: Importante ou imprescindível?
Resumo:
Entre os textos e relatos de acadêmicos e de profissionais ligados ao design, percebe-se que um assunto permeia recorrentemente as discussões: O Reconhecimento da Profissão.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
9
Opiniões:
2
Seguidores:
9