Aprender design sem design(er)?

Aprender design requer conhecer os modos de pensar, agir e projetar próprios do profissional da área. Onde estão os designers para ensinar projeto e prática de design?

Retrato de Gabriel Bergmann Borges Vieira Gabriel Bergmann Borges Vieira Porto Alegre Seguidores: 6

Opiniões:
1
Votos:
8
Compartir:
Ilustração principal do artigo Aprender design sem design(er)?

A difusão do design enquanto área de conhecimento está relacionada com o grande número de cursos de design ofertados nas mais diversas modalidades, áreas e regiões do Brasil. Cursos livres, cursos técnicos, cursos superiores de tecnologia, bacharelados e pós-graduações são facilmente encontradas em qualquer busca na internet ou, simplesmente, ao caminhar atentamente pelas ruas.

Entender como uma pessoa desenvolve/constrói o conhecimento é um desejo antigo dos profissionais voltados para o processo de ensino e aprendizagem. De modo geral, a construção de conhecimento em qualquer campo e conforme diferentes teóricos da educação, existe quando há um desenvolvimento baseado na interação entre professor e aluno, sendo a informação aplicada no fazer humano. Nesse sentido, aprender design requer conhecer os modos de pensar, agir e projetar próprios do profissional da área.

Embora exista uma crescente busca por metodologias de ensino e aprendizagem, bem como dinâmicas de aula que propiciem a construção de conhecimentos, habilidades e competências, o que é preocupante é justamente a falta de conhecimentos, habilidades e competências próprias da área por parte de quem “teoricamente” deveria ensinar. Muitos cursos que se propõem a “ensinar” a prática do design são ministrados por quem não teve sequer vivência profissional como designer, muito menos ter formação acadêmica para vivenciar tal prática. Não parece um pouco difícil ensinar o que não se conhece?

Sabemos que a o design exige articulação das mais diversas áreas do conhecimento, seja do campo das artes, ciências sociais, engenharias, entre tantas outras. Mas onde estão os designers para ensinar projeto e prática de design? Como desenvolver a práxis em um processo de ensinoaprendizagem em que os pares (aluno e professor) estão igualmente no mesmo estágio do processo de construção de conhecimento? E se fosse em outra área: que tal um curso de medicina ensinar prática médica sem professores médicos?

Será que na área do ensino do design não estão reforçando o pensamento de “quem sabe faz, quem não sabe ensina”? Estamos preparados para sustentar as consequências como, por exemplo, o crescimento de concluintes desses cursos superiores buscando atuar justamente na área de ensino? Ou graduados inseguros quanto a prática profissional na sua área de formação?

É bem verdade que, quanto maior a conectividade em rede digital e maior o volume de informações, mais complexa é a tarefa de certificar a veracidade e confiabilidade das coisas. Nesse sentido, para aprender de fato é preciso investigar para tomar uma decisão de curso que propicie uma formação consistente na área de design. Embora poucas, temos instituições de ensino imbuídas do propósito de zelar pela formação ética e coerente da área, com designers (graduados e com vivência prática) com o ideal de contribuir na formação integral de designers que saibam projetar também suas próprias carreiras.

Já, para os que são aventureiros, é bem fácil encontrar instituições de “design sem design(ers)” que, na própria concepção de instituição de ensino, carecem da essência do design: pensar, agir e projetar.

O que você acha? Compartilhe sua opinião agora!

Retrato de Gabriel Bergmann Borges Vieira Gabriel Bergmann Borges Vieira Porto Alegre Seguidores: 6

Opiniões:
1
Votos:
8
Compartir:

Colabore com a difusão deste artigo traduzindo-o

Traduzir ao espanhol Traduzir ao inglês Traduzir ao intaliano
Código QR para acesso ao artigo Aprender design sem design(er)?

Este artigo não expressa a opinião dos editores e responsáveis de FOROALFA, os quais não assumem qualquer responsabilidade pela sua autoria e natureza. Para reproduzi-lo, a não ser que esteja expressamente indicado, por favor solicitar autorização do autor. Dada a gratuidade deste site e a condição hiper-textual do meio, agradecemos que evite a reprodução total noutros Web sites. Publicado em 18/09/2019

Baixar PDF

Gabriel Bergmann Borges Vieira

Mais artigos de Gabriel Bergmann Borges Vieira

Título:
Sobre contratos no design
Resumo:
Reflexão sobre a elaboração de contratos de prestação de serviços em design.
Compartilhar:
Título:
Usos indevidos da marca
Resumo:
A questionável apresentação dos usos incorretos da marca em Manuais de Identidade Visual
Compartilhar:

Debate

Logotipo de
Minha opinião:

Ingresse com sua conta para opinar neste artigo. Se não a tem, crê sua conta grátis agora.

Retrato de Henrique Luzzardi
0
Henrique Luzzardi
Há 3 semanas

Discussão necessária e importante. Parabéns pelo texto.

1
Responder

Lhe poderiam interessar

Retrato de Ricardo Martins
Autor:
Ricardo Martins
Título:
Método simplificado para construção de um sistema de identidade visual
Resumo:
Na hora de projetar a identidade visual, muitos alunos de design sentem falta de um modelo que mostre uma visão do processo. Neste artigo é apresentado um modelo simplificado.
Compartilhar:
Interações:
Votos:
24
Opiniões:
9
Seguidores:
83
Retrato de Raúl Belluccia
Autor:
Raúl Belluccia
Título:
Quero mudar meu logo: como faço?
Resumo:
As dificuldades de um empresário que quer ser orientado no desconhecido (para ele) mundo dos designers gráficos.
Traduções:
Compartilhar:
Interações:
Votos:
8
Opiniões:
3
Seguidores:
786