André Ricard

Artesanato e Design

O artesanato não pode se limitar a reprodução de utensílios do passado. Existe um mercado marginal de produtos artesanais que precisa ser atendido pelo desing.

Read in spanish
Artesanía y diseño
Read in english
Craftsmanship and design

Em um mundo globalizado a produção seriada em larga escala se faz conveniente para suprir o macro mercado global unificado. Esse modelo favorece os países com maior poder econômico e que produzem, como efeito colateral, a imposição do seu modo de vida através dos seus produtos em contextos socioculturais muito divergentes. Globalizar (é) uniformizar e homogeneizar o mercado, atropelando culturas as nativas, atropelando e suplantando as mesmas. Os produtos globalizados em nada têm a ver com as peculiaridades das culturas nas quais eles são comercializados, de modo que esse sistema gera um lamentável empobrecimento da cultura local.

Diante desse cenário, somente o fazer artesanal pode ainda reter essa pluralidade de sensibilidades que existem e criar produtos que levem em conta as necessidades e os gostos de pessoas e mercados minoritários. Produtos elaborados em series limitadas e fabricados com materiais nobres. A nobreza desses materiais reside em sua vasta história de confiabilidade a serviço do Homem (com H maiúsculo). A madeira, o cristal, a cerâmica e os metais básicos são materiais que permitiram a maior e a melhor parte do progresso da cultura objetual humana. Essa nobreza está em destaque por serem estes materiais naturalmente renováveis e recicláveis. Materiais que em nenhum momento agridem o seu entorno: não geram poluição, são recicláveis e possuem qualidades estéticas e organolépticas que não encontramos nos materiais artificiais gerados pelos alquimistas da sociedade industrial.

Houve um tempo em que se temia que os processos produtivos industriais fossem suplantar o artesanato a um nível da lembrança, um vestígio do passado para recordações turísticas. Isso não aconteceu, muito pelo contrário. A hipertrofia em que se encontra a produção industrial faz com que se valorizem cada vez mais as qualidades que são oferecidas pela elaboração artesanal. E não é somente o público que reclama por produtos mais atentos as expectativas particulares de um determinado mercado. Os designers também querem criar obras mais exclusivas, menos seriadas e massificadas pensadas para um público mais próximo e específico. Uma linha de colaboração entre o mundo do design e do artesanato é possível e desejável. Ela permite oferecer objetos mais próximos das pessoas. Objetos úteis, de caráter contemporâneo que não são regidos pelas duras leis homogeneizadoras do sistema, mas que levariam em conta a diversidade das sensibilidades que coexistem.

A colaboração entre artesão e designers parece muito coerente. Uma colaboração em que cada parte possa aportar seu talento:

  • O artesão seu perfeito domínio de um ofício que permite realizar obras que só são possíveis através de técnicas e materiais que a indústria não domina.

  • O designer, sua capacidade para detectar nas coisas mais cotidianas aqueles aspectos que podem ser melhorados e imaginar o modo e as formas de fazê-lo.

A colaboração entre artesanato e design seria então um modo de relacionar o «saber fazer» com o «saber que faz».

Author
André Ricard Barcelona
Translation
Lucas Monteiro Rocha Faria Belo Horizonte

Published on 05/08/2014

IMPORTANT: This article does not express the opinion of the editors and managers of FOROALFA, who assume no responsibility for its authorship and nature. To republish, except as specifically indicated, please request permission to author. Given the gratuity of this site and the hyper textual condition of the Web, we will be grateful if you avoid reproducing this article on other websites. Instead, we suggest and value a partial reproduction, also including the name of the author, the title and the source (FOROALFA), a link to this page (https://foroalfa.org/articulos/artesanato-e-design) in a clear and visible place, inviting to complete the reading.

Autor:
André Ricard

More articles byAndré Ricard

Article:

O adorno

Article:

O design na sociedade do espetáculo

Article:

Design e vida cotidiana

Followers:
388

Related

Illustration:
Ivan Abbadie
Author:

Ivan Abbadie

Title:

Hay que reglamentar el ejercicio del diseño

Synopsis:

La colegiación de los diseñadores es un paso importante para la prestación de un mejor servicio.

Votes:
88
Comments:
84
Followers:
41
Idioma:
ES
Illustration:
Juan José Marrero
Author:

Juan José Marrero

Title:

Dime quién eres y te diré cuánto cuesta el diseño

Synopsis:

Cotizar según la cara del cliente, como proponen algunos tarifarios, contradice los criterios de cualquier profesión que pretenda ser tomada en serio.

Votes:
150
Comments:
82
Followers:
12
Idioma:
ES
Illustration:
Fernando Del Vecchio
Author:

Fernando Del Vecchio

Title:

Sobre la efectividad

Synopsis:

Ser eficaces implica hacer las cosas correctas; ser eficientes, hacerlas correctamente. Ser efectivos significa ser eficaces y eficientes.

Translations:
Read in english
Votes:
51
Comments:
10
Followers:
567
Idioma:
ES
FOROALFA ISSN 1851-5606 | Contactar | Publicidad | ©Luciano Cassisi 2005~2016