Designer para um pais em crise

V√°rios pa√≠ses est√£o vivendo uma crise econ√īmica e financeira, obrigando a todos a criarem solu√ß√Ķes alternativas para manterem suas rendas. Qual o papel do designer neste processo?

Retrato de Nelson Graubart Nelson Graubart S√£o Paulo Seguidores: 13

Opini√Ķes:
5
Votos:
11
Compartir:

H√° marcas que surgem com a voca√ß√£o para serem globais, outras nacionais e ainda h√° aquelas que s√£o criadas para atuarem em uma pequena comunidade, um condom√≠nio, um bairro ou at√© em uma rua. Neste momento que o Brasil atravessa estamos sendo procurados por um novo perfil de cliente: S√£o pequenos ou micro empreendedores, normalmente individuais ou no m√°ximo dois s√≥cios em busca de solu√ß√Ķes para o desemprego ou em busca de rendas complementares.

S√£o pessoas comuns em busca de uma solu√ß√£o alternativa, como donas de casa que querem transformar seus dotes culin√°rios em ¬ęcongelados¬Ľ ou brigadeiros, s√£o amigas que querem transformar seus hobbies de artesanato em joias, cervejeiros artesanais de final de semana que querem montar um beer-truck, ou at√© profissionais liberais se reposicionando no mercado: m√©dicos abrindo cl√≠nicas para poderem trabalhar com conv√™nios, engenheiros abrindo construtoras para pequenas reformas, administradores virando consultores ou corretores de seguros, jornalistas se transformando em assessores de imprensa ou blogueiros, enfim cada um procurando solu√ß√Ķes alternativas para a crise que estamos passando. Este novo perfil de cliente tamb√©m precisa construir sua marca, se identificar e se diferenciar.

Do seu posicionamento no mercado, o nome da sua marca, a identidade visual, cart√£o de vista, a fachada e decora√ß√£o de seu estabelecimento, site, embalagens, r√≥tulos e outros itens que far√£o o contato visual, e quais as mensagens e canais de comunica√ß√£o com seus p√ļblicos. Este cliente precisa de um projeto de branding proporcional ao neg√≥cio que est√° se iniciando.

Este novo mercado está exigindo um reposicionamento de nós designers não só no comportamento, mas também no atendimento e principalmente nos custos praticados, pois é um mercado que merece ser muito bem e profissionalmente atendido, independente do seu porte inicial, pois da qualidade de nosso trabalho pode significar não só a sobrevivência deste empreendimento mas também seu crescimento e perpetuação no mercado.

Se falar com o dono do negócio é mais simples do que com uma grande corporação com vários níveis de decisão, o desafio de lidar com pessoas não habituadas aos conceitos de design ou às nuances do mundo dos negócios além de sua área de conhecimento específico, também exige preparo e flexibilidade dos especialistas.

√Č preciso saber conduzir situa√ß√Ķes de ansiedade e orientar o cliente em √°reas que ele talvez ainda n√£o conhe√ßa. √Č preciso esclarecer certos porqu√™s para evitar desperd√≠cios e erros estrat√©gicos que podem inviabilizar qualquer iniciativa empreendedora por mais promissora que possa parecer.

Retrato de Nelson Graubart Nelson Graubart S√£o Paulo Seguidores: 13

Opini√Ķes:
5
Votos:
11
Compartir:

Colabore com a difus√£o deste artigo traduzindo-o

Traduzir ao espanhol Traduzir ao inglês Traduzir ao intaliano
Código QR para acesso ao artigo Designer para um pais em crise

Este artigo não expressa a opinião dos editores e responsáveis de FOROALFA, os quais não assumem qualquer responsabilidade pela sua autoria e natureza. Para reproduzi-lo, a não ser que esteja expressamente indicado, por favor solicitar autorização do autor. Dada a gratuidade deste site e a condição hiper-textual do meio, agradecemos que evite a reprodução total noutros Web sites.

Nelson Graubart

Mais artigos de Nelson Graubart

Título:
Identidade Visual é mais do que um logotipo
Resumo:
Facilidades no acesso √†s identidades visuais das empresas e seu uso indiscriminado podem destruir a sinergia entre suas aplica√ß√Ķes.
Compartilhar:

Debate

Logotipo de
Minha opini√£o:

Ingresse com sua conta para opinar neste artigo. Se não a tem, crê sua conta grátis agora.

Retrato de Lucilia Alencastro Brancalua
0
Lucilia Alencastro Brancalua
H√° um ano

Pois é... é um ótimo mercado... Você acha que a tabela de valores da ADEGRAF, de Brasília, é uma referência boa nesse caso? Ela é bem atualizada. Já a da ADG... é de 2004! Ainda assim, alguns clientes pequenos acham os valores muito altos. Bem, eu sempre explico bem direitinho o porque dos preços, o que fazemos, o que estudamos pra chegar até aqui, o quanto um médico cobra, o quanto uma faxineira cobra, blá, blá, blá... Mas que difícil, né?!

2
Retrato de Nelson Graubart
13
Nelson Graubart
H√° um ano

Verdade Lucília. Acho que nenhuma tabela reflete o valor do trabalho. Apenas seu custo. Para o pequeno e iniciante empresário qualquer custo e alto e lembre-se que existem alternativas na internet que são aviltantes.

1
Retrato de Larissa Franciscato
0
Larissa Franciscato
H√° um ano

O que eu tenho feito é mostrar a tabela da adegraf já que a da ADG está desatualizada. E faço uma pergunta depois que o cliente diz que não pode pagar por esse preço da tabela. Pergunto: " Diante desse valor de mercado, qual seria o seu ponto de equilíbrio?" Ela recebe e pensa: "Qual valor eu tenho para investir?" Dai ela manda uma proposta, se esse valor faz sentido para mim como profissional, msmo não sendo o meu ideal, diante da situação, eu faço, caso contrário não faço, mantenho a relação estável para quando ela puder investir um pouco mais em Design ela me procurar... Tem funcionado.

0
Retrato de Roberto Magalhaes Silva
0
Roberto Magalhaes Silva
H√° um ano

Cada estado tem um valor diferente.

Penso que temos que agregar valor e nem sempre diminuir custos.

Deveria ter sim, regulamentação para esse tipo de polêmica comercial se tornar

uma desordem geral.

0
Retrato de Nelson Graubart
13
Nelson Graubart
H√° um ano

Meu caro Roberto,

cada estado tem valores diferentes assim como cada profissional e cada cliente tambem tem valores diferentes. Cabe a cada um de nós escolhermos o que é adequado, ético e possível.

0
Responder

Lhe poderiam interessar

Retrato de Norberto Chaves
Autor:
Norberto Chaves
Título:
Pensamento tipológico
Resumo:
Um requisito fundamental para saber avaliar e desenhar corretamente signos gr√°ficos marc√°rios.
Tradu√ß√Ķes:
Compartilhar:
Intera√ß√Ķes:
Votos:
30
Opini√Ķes:
4
Seguidores:
3247
Retrato de Norberto Chaves
Autor:
Norberto Chaves
Título:
Mais sobre o logótipo corporativo
Resumo:
Clarifica√ß√£o sobre as fun√ß√Ķes universais deste sinal identificador.
Tradu√ß√Ķes:
Compartilhar:
Intera√ß√Ķes:
Votos:
8
Opini√Ķes:
1
Seguidores:
3247
Ilustração principal do artigo Doodle game: uma definição de marca mutante jogável
Autor:
Breno Carvalho
Título:
Doodle game: uma definição de marca mutante jogável
Resumo:
Em 2010, a Google lan√ßou uma de suas varia√ß√Ķes denominadas Doodle para homenagear o games Pac-Man. A muta√ß√£o deixava de ser apenas animada ou interativa para tornar-se jog√°vel.
Compartilhar:
Intera√ß√Ķes:
Votos:
1
Seguidores:
1
Retrato de Joaquin Presas
Autor:
Joaquin Presas
Título:
Cannes e o dia da mentira
Resumo:
Os pr√™mios s√£o um assunto que despertam discuss√Ķes acaloradas entre designers. No texto apresento uma breve reflex√£o sobre o tema.
Compartilhar:
Intera√ß√Ķes:
Votos:
13
Opini√Ķes:
2
Seguidores:
17
Retrato de Nelson Graubart
Autor:
Nelson Graubart
Título:
Identidade Visual é mais do que um logotipo
Resumo:
Facilidades no acesso √†s identidades visuais das empresas e seu uso indiscriminado podem destruir a sinergia entre suas aplica√ß√Ķes.
Compartilhar:
Intera√ß√Ķes:
Votos:
26
Seguidores:
13
Retrato de Priscila Lima Pereira
Autor:
Priscila Lima Pereira
Título:
Maximizando lucros aplicando o custo de oportunidades
Resumo:
A maximixacao dos lucros é a chave de qualquer negócio bem sucedido, porém entender como alcançar esse êxito sempre é uma tarefa complicada para empreendedores de qualquer ramo.
Compartilhar:
Intera√ß√Ķes:
Votos:
1
Seguidores:
12