Pensamentos na ponta do lápis

Reflexões para perder o medo de se expressar com o lápis, para sentir a paixão de fazê-lo.

Mario González Arequipa
Followers:
24
Comments:
1
Votes:
4
Compartir:

Tenho me deparado muitas vezes com discussões sobre se o designer gráfico deve ou não saber desenhar. Considero essa uma discussão estéril (os que sabem desenhar que o faça e os que não conseguem não vejo nenhum problema nisso). Entretanto, recomendo o desenho a mão livre para tentar dominar este maravilhoso ofício de traçar com grafite as ideias sobre o papel. Não importa que no início os desenhos se pareçam com arranhões ou aranhas mortas, isso é válido no caminho em direção à meta perseguida. Sustento com absoluta certeza que descobrirá, literalmente, outro mundo.

O exercício de esboçar as ideias sobre o papel outorga ao designer uma fluidez e uma riqueza expressiva que ajuda não apenas na consecução de representar conceitos ainda difusos (soluções gráficas onde se começa o refinamento de ideias) mas também uma espécie de alimento espiritual, com propriedades anti estressantes, potencializador do ânimo positivo, talvez uma prática rejuvenescedora, quem sabe. No princípio, os resultados não são tão importantes, é o processo em si o principal objetivo. É o prazer quase infantil de pintar sobre as paredes, deixar que a experiência lúdica do traçado invada e envolva você.

Recomendo deixar que nossos impulsos primários percam o freio e se expressem em toda sua magnitude natural, com a expressividade de cada indivíduo, com carimbo próprio, força e impulso vital irrepetível. Lutar um pouco, resistir outro tanto para não ser «uniformizado», de algum modo, pela interface dos programas de edição gráfica de uso comum, ainda que no final tenhamos que claudicar para passar nossa ideia ao formato digital.

Não pôr barreiras à expressividade, abrir a porta para o assombro ao modelar no suporte os próprios instintos. Brincar de descobrir formas nos rabiscos dos papéis que vamos amontoando na cesta de lixo; aí estão as ideias escondidas em cada forma, em cada linha, na intensidade ou intenção do traço colocado sobre o papel; buscar uma interpretação, uma explicação; descobrir que o grafite tem muito a dizer.

Sinto-me um felizardo por pertencer a duas gerações: aquela que dominava o ofício manual para o desenho (na qual o lápis, obviamente, constituía a principal ferramenta) e a geração atual que conta com o auxílio onipresente da tecnologia.

Em minha experiência pessoal, a inquietude de expressar minhas ideias com as formas que surgem em minha mente tem me levado a desenhar (a lápis, evidentemente) minhas próprias fontes tipográficas de modo particular. Estou seguro que não chegaria ao mesmo resultado se estivesse optado em trabalhar diretamente com as fontes já existentes.

Desenhar é maravilhoso e gratificante, além de um complemento muito valioso para a profissão do design gráfico. Não devemos ter medo do desenho, mas lembrar que a prática faz o mestre.

Translated by Luiz Claudio Gonçalves Gomes Campos Dos Goytacazes
Followers:
24
Comments:
1
Votes:
4
Compartir:

1 Comments

Comment

This article does not express the opinion of the editors and managers of FOROALFA, who assume no responsibility for its authorship and nature. To republish, except as specifically indicated, please request permission to author. Given the gratuity of this site and the hyper textual condition of the Web, we will be grateful if you avoid reproducing this article on other websites. Published on 30/06/2015.

You may be interested

Francisco Yantorno
Idioma:
ES
Author:

Francisco Yantorno

Title:

Reconstrucción de un emblema olvidado

Share:
Interactions:
Votes:
22
Comments:
4
Followers:
32
Pablo Bertero
Idioma:
ES
Author:

Pablo Bertero

Title:

La imagen lo es todo

Share:
Interactions:
Votes:
121
Comments:
43
Followers:
63
Marcos Dopico Castro
Idioma:
ES
Author:

Marcos Dopico Castro

Title:

La Helvetica hoy

Share:
Interactions:
Votes:
21
Followers:
7
Rubén Morales
Idioma:
ES
Author:

Rubén Morales

Title:

Un escudo para un partido político

Share:
Interactions:
Votes:
13
Comments:
8
Followers:
8
Rodrigo Cassella
Idioma:
ES
Author:

Rodrigo Cassella

Title:

Cómo calcular el valor económico de una marca

Share:
Interactions:
Votes:
29
Followers:
21
Norberto Chaves
Idioma:
PT
Author:

Norberto Chaves

Title:

Com ou sem símbolo

Translations:
Share:
Interactions:
Votes:
19
Comments:
1
Followers:
3035
My opinion:

Login with your account to comment on this article. If you do not have it, create your free account now.

0
Roberto Marques
Jul 2015

Olá Mário,

assim como você, também fiz parte da geração que tinha o lápis como um dos instrumentos de representação e criação. Mas me cansei de falar disso, principalmente com alunos. A maioria deles não se interessa pela expressões manuais, mas pelas tecnológicas. Gostar de desenhar deve ser incentivado na infância, também como recorte e colagem, montar e desmontar objetos, trabalhar com massa plástica, origami, etc., enfim, trabalhos feitos com as mãos e o cérebro. Não posso falar em nome de uma geração mas o lápis não me parece mais ser o objeto que desperta paixões...

1
Reply

Upcoming online courses

Branding Corporativo

Branding Corporativo

Cómo planificar, construir y gestionar la marca de empresas e instituciones

4 weeks
17 Septiembre

Estrategia de Marca

Estrategia de Marca

15 claves para programar el diseño de símbolos y logotipos de alto rendimiento

4 weeks
29 Octubre

Relecturas del Diseño

Relecturas del Diseño

Una inmersión en el discurso sobre el diseño para despejar sus nociones más controvertidas: creatividad, innovación, arte, tecnología, función social...

4 weeks
28 Enero 2019

Branding: Diseñador y Cliente

Branding: Diseñador y Cliente

Tratar con el cliente, hacer presupuestos y planificar las etapas de la creación de una marca

3 weeks
22 Abril 2019

Auditoría de Marca

Auditoría de Marca

Taller de práctica profesional: análisis, diagnóstico y programa de marca sobre casos reales

6 weeks
22 Junio 2019