Marcos Esquef

Marcos Esquef

Campos Dos Goytacazes (Rio de Janeiro) Brasil

Seguidores:
0
Votos:
1
Opiniones:
13

Diseñador Industrial profesional, docente con 36 años de trayectoria. Ejerce la docencia en Instituto Federal Fluminense.

Áreas de interés: Arquitectura, Diseño Gráfico, Diseño Industrial, Publicidad, Comunicación, Ilustración

0

Oct 2011 Mi opinión en el artículo La ideología de los signos

Pertinente reflexão. O Design configura-se dentre as atividades projetivas em materializar conceitos, ideias abstratas e subjetivas em forma de objetos e representações. Ele é um locus que põe significados em grande parte da totalidade da comunicação visual e dos objetos que convivem conosco em nosso dia a dia. Considerando a sua origem industrialista, portanto, sua teleologia a dar lucro, o Design não é destituído de uma formulação neutra e inofensiva do ponto de vista ideológico. Vai depender, certamente, dos fins a que se prestam no contexto das relações sociais aí produzidas.

0
0

Oct 2011 Me gusta el artículo:

0

Jun 2011 Mi opinión en el artículo Reconfiguraciones para diseñar e innovar

Bom tema para um grande artigo. Não somente compartilho das ideias expostas, como penso que deveriam ser também mais publicizadas e debatidas nas instâncias de formação em Design. Muito pertinente para uma reflexão projetual nesse mundo pós-moderno.

0
0

Abr 2011 Mi opinión en el artículo ¿Diseño al servicio del capitalismo?

O texto vem em boa hora. Mas é preciso tomar cuidado com certas ponderações. O tema Design&Capitalismo é muito instigante. Demandaria um espaço muito maior para reflexão. Acho que há algumas contradições no texto. Concordo em não confundir Design com Publicidade, mas não considerar a forte inserção e inflexão que o marketing se põe onde poderíamos chamar de «domínios do Design», é, sob minha ótica, preocupante. Sugiro refletir sobre alguns textos críticos do renomado historiador Giulio Carlo Argan, como também de Gui Bonsiepe.

0
0

Abr 2011 Me gusta el artículo:

0

Jul 2010 Mi opinión en el artículo Educar diseñadores integrales

Concordo. Os homens para se comunicarem entre si, utilizam do processo da linguagem. Isto nos leva a certificar o Design também como uma forma de comunicação, e, portanto, uma linguagem. O processo de projetar comporta vários fatores, dentre eles, focar-se nas reais necessidades socioeconômicas e culturais do público-alvo, bem como sua melhor interface com o mundo artificial. Ademais, devemos, como docentes e profissionais da área, cultivar o caráter inter e multidisciplinar do processo de projetar em Design. Portanto, pelo exposto no artigo, temos um grande desafio no ensino do Design.

0
0

May 2010 Mi opinión en el artículo Qué puede hacer el diseñador en la empresa

Ao considerarmos como uma das resultantes do processo de Design numa empresa é tornar pública sua imagem, cultura, missão etc., cumpre notar que, o profissional envolvido tenha condições de poder exercer tal papel. Para tanto, numa linha inter e multidisciplinar, penso que os designers devem ter em sua formação conhecimentos de gestão, mais aprofundados. Cada vez mais somos solicitados a resolver problemas nas empresas, que antes não estavam aflorados. Assim, repensemos e busquemos compreender qual é o «novo» papel dos designers neste nosso mundo pós-moderno.

0
0

May 2010 Mi opinión en el artículo ¿Existe un lenguaje del color?

Considerando que 75% de nossa percepção vem da esfera visual, é prudente afirmar que o fator cor é de relevante importância na comunicação visual. Há na literatura específica, vários fundamentos elaborados por autores sobre os aspectos perceptivos relacionados à cor.

Desse modo, buscar estudar, conhecer e compreender sob os fenômenos da cor em nossa percepção, é tarefa sine qua non para qualquer sujeito que queira se enveredar pela área do Design (principalmente, na esfera gráfica).

Não obstante tais ponderações, cumpre notar que, ela (cor) não é tudo num projeto de comunicação visual.

0
0

May 2010 Mi opinión en el artículo Sudáfrica 2010: ¿un buen símbolo?

O símbolo possui elementos gráficos demais, que não remetem a uma efetiva função comunicacional. Muito complexo, com baixa pregnância.

0
0

Abr 2010 Mi opinión en el artículo Un libro de recetas para superar la crisis con diseño

Penso que os temas contidos no livro são de grande importância para a área. Refletir sobre a área tem sido minha prática já há alguns anos, tanto em nível profissional, quanto na minha atividade docente. Como receber a publicação aqui no Brasil? Estou muitíssimo interessado.

1
0

Abr 2010 Mi opinión en el artículo Las carreras de diseño ¿preparan buenos profesionales?

Não. Estamos entrando num problema de difícil resolução. Não cabe somente rechaçarmos as entidades de formação de design. O problema é de muito maior amplitude. Não somente a universidade pode deter toda a responsabilidade de formação de designers, digamos «bem-sucedidos» e preparados. A primeira pergunta que deveria ser feita é: Preparar para quê e para quem? A sociedade, o «mercado», os docentes e os discentes sabem o que querem? Trata-se de um tema muito complexo para um simples debate.

0
0

Feb 2010 Mi opinión en el artículo ¿Existe la «teoría del diseño»?

Uma «teoría del diseño», além de aspectos tecnológicos, metodológicos e específicos da área, sobre deveria procurar refletir sobre a realidade formativa e a arena profissional posta não só aos discentes de Design, mas também os designers atuantes no mercado. Depreendi em minhas pesquisas e docência na área que, fatores como: viés humanista ou mercadológico; preocupações ambientais; o que vem a ser Design; sua importante inserção como agente transformador de uma dada sociedade; o Design na era pós-moderna etc., ainda são elementos relevantes que são pouco debatidos nos fóruns específicos.

0
0

Sem dúvida alguma. Além de conhecer profundamente sobre a área do Design, possuir experiência profissional se faz imprescindível. Haja vista que muitas soluções, encamaninhamentos etc., não estão expostos em livros ou textos sobre a área. No entanto, cabe ao docente possibilitar meios que levem aos alunos a também pensar, pesquisar e conhecer melhor, para que possam exercer com maior desenvoltura sua profissão.

0
0

Dic 2009 Mi opinión en el artículo ¿Todo diseño debe ser novedoso y original?

Não desconsiderando outros aspectos importantes, tais como inovação, criatividade, funcionalidade etc., penso que em todo o processo de desenvolvimento de desenho industrial deva prevalecer, primeiramente, o aspeto humanista.

0
0

Nov 2009 Mi opinión en el artículo ¿Existe una ética del diseño?

O Design é uma atividade moderna de nascimento, com estreitas vinculações econômicas, políticas e ideológicas com a burguesia industrial. Por sua origem industrialista, ele não é destituído de uma formulação neutra e inofensiva do ponto de vsita ideológico,vai depender dos fins a que se prestam no contexto das relações sociais que serão produzidas. Sustentamos um viés projetivo em que o parâmetro seja o «Homem». Os atributos alocados nos objetos e sistemas visem a uma maior qualidade de vida; com preocupações ambientais e sociais; não apenas atendendo às diretrizes esquizofrênicas do mercado.

0