Norberto Chaves

Dez princípios do design gráfico

Versão sintetizada, em modo de decálogo.

Read in spanish
Diez principios del diseño gráfico
Read in english
Ten principles of graphic design

1. Convencionalismo

O signo deve configurar-se de acordo com a combinação dos códigos gráficos culturalmente vigentes. A ideia de «novas linguagens gráficas» é absurda: se uma linguagem é nova, não se entende.

2. Ocorrência

A ocorrência compensa o convencionalismo ao dar relevância à mensagem. Mas o grau de atipicidade necessário nem sempre é o máximo possível. Cada caso requer um grau de ocorrência diferença.

3. Eficácia

O signo tem de cumprir, no mínimo, todas as funções para as quais foi criado. Valores, como por exemplo a estética, não podem subordinar a eficácia do comunicado gráfico, mas sim, pelo contrário, potenciá-la.

4. Propriedade

O signo deve inscrever-se no paradigma identitário do seu emissor. A assinatura não é suficiente: o que é mesmo comunicado deve identificar o emissor. A identidade não consiste em falar do emissor mas sim falar como ele.

5. Respeito

Tal como sucede com o emissor, a expressão gráfica deve ser ajustada e respeitar os códigos do receptor. Fala-se para ele, para que ele entenda.

6. Pertinência

O signo deve ajustar-se ao registo do vínculo comunicacional que se estabelece entre emissor e receptor. Só conhecendo esse vínculo, é possível estabelecer o tom adequado para cada merecida ocasião.

7. Densidade

Entre vazio e cheio deve haver uma relação de sentido. O signo deve estar saturado, ou seja, sem zonas privadas de sentido. Se ao eliminar um elemento não se perde nada, era porque esse elemento estava a mais.

8. Economia

O resíduo é comunicacionalmente negativo. O signo não deve conter redundâncias supérfluas ou excessos gráficos.

9. Transparência

O signo deve carecer de significados parasitárias que operam como interferências à sua mensagem específica.

10. Anonimato

O signo deve ser autónomo, livre de referências ao seu processo produtivo ou ao seu autor. O signo não é a história do seu processo produtivo: pertence ao emissor e a sua produção deve tornar-se invisível.

Author
Norberto Chaves Barcelona
Translation
Barbara Videira Lappeenranta

Published on 24/05/2012

IMPORTANT: This article does not express the opinion of the editors and managers of FOROALFA, who assume no responsibility for its authorship and nature. To republish, except as specifically indicated, please request permission to author. Given the gratuity of this site and the hyper textual condition of the Web, we will be grateful if you avoid reproducing this article on other websites. Instead, we suggest and value a partial reproduction, also including the name of the author, the title and the source (FOROALFA), a link to this page (https://foroalfa.org/articulos/dez-principios-do-design-grafico) in a clear and visible place, inviting to complete the reading.

Related

Illustration:
Enrique Vidal Pacheco
Author:

Enrique Vidal Pacheco

Title:

El diseño gráfico como objeto de estudio y sus significados

Synopsis:

Comprender la función del diseño gráfico en la actualidad, involucra a diversas áreas del saber, en la indagación de un entramado fenomenológico de difícil interpretación.

Votes:
21
Comments:
7
Followers:
26
Idioma:
ES
Illustration:
Nestor Damian Ortega
Author:

Nestor Damian Ortega

Title:

El diseño explicado para niños

Synopsis:

Definición universal y definitiva de «diseño» (posmodernismo puro).

Votes:
49
Comments:
27
Followers:
114
Idioma:
ES
Illustration:
Thales Aquino
Author:

Thales Aquino

Title:

Qué es, cómo piensa y qué hace un diseñador estratega

Synopsis:

El quehacer, la metodología y la entrega de valor de un nuevo tipo de diseñador.

Translations:
Read in portuguese
Votes:
84
Comments:
16
Followers:
23
Idioma:
ES
FOROALFA ISSN 1851-5606 | Contactar | Publicidad | ©Luciano Cassisi 2005~2016